Mesmo com queda de vendas, Fenabrave diz que setor automobilístico não pode se queixar

redacao 03/10/2013
redacao 03/10/2013

Apesar de o setor automobilístico ter registrado queda nas vendas totais de veículos em setembro, na comparação com agosto, o presidente da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), Flávio Meneghetti, disse que o setor não tem motivo para reclamar, mesmo que a recuperação no ano não esteja em uma velocidade maior.

Segundo os dados divulgados, o número de veículos vendidos no país em setembro caiu 6,57%em relação a agosto, com a comercialização de 449.627 veículos, contra os 481.241 de agosto. O dirigente justificou que setembro teve menos dias úteis do que agosto e a média mensal dos nove meses, com relação ao mesmo período do ano passado, está semelhante.

“Eu quero lembrar que, no ano passado, nós tivemos um trimestre atípico, com junho, julho e agosto impactados pela redução do IPI [Imposto sobre Produtos Industrializados]. Então estamos comparando dois ambientes econômicos muito diferentes. Sem contar que tivemos em julho deste ano as mobilizações sociais que impactaram no consumo de automóveis particulares nas grandes capitais”, explicou Meneghetti.

Entretanto, o número de veículos vendidos em setembro de 2013 é 7,03% maior do que o total do mesmo mês do ano passado. Em setembro de 2012, 420.096 veículos foram comercializados. E no acumulado do ano, foram comercializados 4.096.486 veículos no país, número 2,11% menor do que total do mesmo período de 2012 (4.184.699). A previsão da Fenabrave é que o número de unidades vendidas este ano totalize 5.356.629 unidades. Para setembro a previsão da entidade era 451.229 veículos comercializados.

Para Meneghetti o crescimento neste ano deve ser em torno de 1% para o segmento de automóveis e comerciais leves. “Obviamente que o setor não vem na velocidade dos anos anteriores, mas considerando que estamos em um crescimento previsto para 2% [na economia do país] inicialmente, e recalibrado para 5% em função de uma melhoria do cenário”.

Para fazer a estimativa, a Fenabrave considera a volta definitiva do IPI no valor fechado dos veículos em janeiro. “Isso aquecerá o mês de dezembro e uma parte do mês de novembro”. Segundo os dados, em setembro as vendas de automóveis e comerciais leves caíram com relação a agosto, mas, na comparação com setembro do ano passado, houve crescimento de 5,9%. No acumulado do ano houve queda de 1,07% ante o mesmo período do ano passado.

Informações Agência Brasil

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.