Empreendedor - negócio criativos, inovadores e rentáveis

EMP 261 site Última edição Edição 261 December 2016 Assine

Criação permite que empresa tenha seu próprio aplicativo para distribuir a clientes

redacao 28/10/2013
redacao 28/10/2013

A ExpressApps, especializada na produção de aplicativos mobile corporativos para empresas de todos os portes, completa um ano de operação com um número representativo: mais de 200 apps desenvolvidos para grandes marcas . Presente em São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de Janeiro e Salvador, a empresa cria, desenvolve e gerencia aplicativos móveis para smartphones e tablets, permitindo que qualquer pessoa ou empresa tenha seu próprio aplicativo para distribuir a seus clientes nas versões para iPhone, iPad, Android e HTML5. A empresa também faz todo o processo de publicação dos aplicativos nas Apps Stores (Apple Store e Google Play).

Fundada em 2012 em São Paulo, a ExpressApps desenvolveu um modelo de negócios que permite que seu cliente gerencie o conteúdo de seus apps da maneira que preferir, sem a necessidade de conhecimento de programação. Um dos diferenciais da empresa é desenvolver aplicativos de qualidade e baixo custo. Na visão de Sérgio Cury, sócio-diretor de tecnologia da ExpressApps, hoje as empresas não têm escolha: elas precisam acompanhar a evolução do comportamento do consumidor. “Isso quer dizer que o acesso mobile já é uma realidade a quase metade da população que utiliza banda larga móvel e, portanto, uma indispensável maneira de falar com o público-alvo. Para as empresas, é imperativo que tenham apps eficientes, que de fato representem a marca, com todas as funcionalidades que facilitem a vida dos seus stakeholders”, afirma.

Com uma carteira de clientes composta por empresas como Tim, Academias Runner, Faculdade Belas Artes, Cobasi, Clube Atlético Paulistano, Rádio Metropolitana, a rede de restaurantes Viena e Frango Assado, além de empresas do Grupo Ecorodovias e Vale do Rio Doce, entre outros, a ExpressApps já desenvolveu aplicativos para diversos segmentos de mercado. Incluem-se nesse rol bares, restaurantes, casas noturnas, agências de turismo, decoração e design, mercado financeiro, saúde e bem-estar, shoppings, músicos, bandas, artistas plásticos, políticos, entre outros.

No Brasil já são mais de 260 milhões de aparelhos celulares, segundo o último estudo da Anatel. Deste total, 65 milhões já têm acesso à banda larga móvel, o que mostra o potencial do mercado brasileiro. Em pesquisa recente da Flurry, o Brasil foi apontado como o 12° país do mundo em número de downloads de aplicativos. Para Cury, a interatividade é o que move esses novos consumidores, e quem não participar ativamente deste universo vai perder muito espaço no mercado.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.