O guardião do dinheiro público

Sistema de inteligência criado pela Digitro auxilia agentes públicos a recuperar R$ 44 bilhões da corrupção só da Lavajato

Acari Amorim 17/05/2018
Acari Amorim 17/05/2018

Só a operação anticorrupção chamada Lava Jato pode ressarcir nada menos do que R$ 44,4 bilhões aos cofres públicos, de acordo com estimativa do Ministério Público Federal. Para puxar o fio do novelo da gigantesca corrupção política brasileira dos últimos anos, uma das ferramentas utilizadas ganhou um nome bem sugestivo: Guardião. Como o próprio nome sugere, esse sistema se tornou uma espécie de guardião do dinheiro público do país, com o objetivo de ajudar especialistas no combate à corrupção. Silencioso e que só pode entrar em ação por agentes públicos com a autorização expressa do Poder Judiciário, o Guardião é um eficiente sistema de monitoramento criado pela empresa catarinense Dígitro, que completou 40 anos de uma trajetória repleta de inovações tecnológicas.

Criada em 1977 por três engenheiros elétricos recém formados da Universidade Federal de Santa Catarina (José Fernando Xavier Faraco, Marcos Regueira e Lúcio Prazeres), logo ganhou projeção nacional no mercado de tecnologia, em soluções de inteligência e comunicação.

Com todo o know how adquirido nos últimos anos, a empresa aplica seu conhecimento de inteligência ajudando as empresas na geração de receitas ou redução de custos e otimização de processos. Atualmente, possui soluções voltadas à recuperação de ativos, cidades inteligentes, e soluções sob medida para resolver problemas cujas soluções não são fáceis de se encontrar.

O atual presidente executivo da Dígitro , Milton Espíndola, lembra que quando surgiu, em 1977, a Dígitro era uma espécie de startup de hoje. “Na verdade, naquela época nem existia essa palavra e não se tinha apoio de ninguém. Era criar, testar, colocar no mercado, tudo por conta própria, na cara e coragem”, afirma.

Lançado em 1999, o Guardião não foi o único sucesso da Dígitro. Suas soluções de inteligência e comunicação voltadas a Contact Centers são hoje muito utilizadas por empresas de vários portes e segmentos no mercado. O caminho de sucesso começou em 1983, quando a empresa lançou a primeira plataforma para o serviço de teledespertador. Antes desse ano, quem queria ser despertado pelo sinal telefônico, tinha que agendar com a empresa telefônica um dia antes. Só em São Paulo, nada menos que 400 telefonistas ficavam de plantão a noite inteira para discar para a casa de cada solicitante. Como se fosse um passe de mágica, na verdade com uma fina e sofisticada tecnologia, a Dígitro deixou tudo automatizado.

O prédio onde está instalada a Dígitro é um templo também de inovação e sustentabilidade. É um exemplo, não apenas para o Brasil, mas para todo o mundo. Ali, os sete andares foram erguidos dentro do conceito Green Building (construção verde). O projeto arquitetônico, da implantação no terreno à escolha de materiais, foi cuidadosamente planejado, oferecendo conforto térmico e acústico, luminosidade natural e aproveitamento ideal de ventos e insolação.

Entre outros diferenciais da construção, vale citar que células fotovoltaicas convertem energia solar em elétrica. O aquecimento da água das torneiras é proveniente de painéis de aquecimento solar. Os vidros das janelas e portas de todo o prédio retém 70% de calor, diminuindo o consumo de energia do sistema de ar condicionado. Em cada ambiente estão instalados sensores que acendem com a chegada de uma pessoa e automaticamente desligam sem a presença humana.

Os telhados pintados de branco e todas as paredes foram revestidas com cerâmica de cor clara, que refletem a luz solar, evitando a transferência de calor. Toda a água da chuva é captada e destinada para todos os fins que não seja o uso potável. Na própria empresa, em contêineres especiais, os funcionários podem deixar todos os produtos descartáveis (pilhas, baterias e lâmpadas). Isso também pode ser feito pelos moradores em volta do prédio da empresa.

Milton Espíndola enfatiza que a empresa sempre teve sede de inovação. “Se tem uma palavra que nos move desde o início é a inovação. Esse espírito sempre procuramos passar para os profissionais que trabalham na empresa”, sustenta. Não é para menos que a empresa investe a cada ano cerca de R$ 7 milhões em inovação de produtos, serviços e processos.

Cada funcionário é estimulado a buscar a inovação “fora da caixa”, explica Espíndola. “Sempre queremos estar na frente. Buscar soluções que ainda não foram encontradas. Esse será nosso espírito para os próximos 40 anos”, enfatiza.

 

LINHA DO TEMPO

1977 – Fundação da Dígitro, em 1 de setembro de 1977.

1983 – Primeira plataforma para o serviço de teledespertador.

1996 – Conquista da Certificação ISSO 9001.

1997 – Lançamento da Plataforma Digital para comunicação corporativa.

1999 – Lançamento do Guardião, sistema de monitoramento para a segurança pública.

2003 – Início das exportações no mercado da América Latina.

2004 – Lançamento da Plataforma NGC, capaz de atender a múltiplas funções de dados, telefonia e conectividade de uma grande empresa.

2005 – Lançamento dos terminais de telefonia IP e Fale WEB.

2006 – Primeira empresa brasileira a conquistar a certificação internacional em telecomunicações TL 9000.

2007 – Participação no XV Jogos Pan e Parapan-americanos, no Rio de Janeiro, com sistema de inteligência e telefonia para segurança pública.

2008 – Lançamento do SmartCell IP, solução do segmento de Redes Convergentes IP.

2009 – Inauguração das atuais instalações físicas em Florianópolis, construídas com características de sustentabilidade.

2010 – Certificação PPB como empresa que atende às condições de bens de informática e automação desenvolvidas no país, reconhecida pela MCTI.

2011 – A Dígitro está pronta para o futuro trazendo uma combinação de soluções junto à sua equipe de colaboradores. A missão continua a ser: prestar serviços de qualidade e superar as expectativas de seus clientes ao redor do mundo.

2012 – Inauguração da Unidade do Peru.
Prêmio Expressão
de Ecologia na categoria “Construção Sustentável”.

2013 – Certificação CMM. Certificação EED pelo MD como Empresa Estratégica de Defesa obtendo vantagens competitivas.
Prêmio expressão de
ecologia na categoria “Conservação de insumos de Produção – Energia”.

2016 – Constituiu uma S.a. de capital fechado. ampliação do portfólio de produtos e serviços adequados ao modelo as a service.

2018 – Desenvolvimento
de soluções para inteligência aplicada
nas organizações — recuperação de ativos, smart cities e transcrição de voz para texto —
além do investimento contínuo em inovações para planejar os próximos anos da Dígitro..

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.