Pão de Açúcar espera melhor Natal dos últimos dez anos

redacao 12/11/2010
redacao 12/11/2010

O vice-presidente executivo do grupo Pão de Açúcar, Hugo Bethlem, afirma que o Natal de 2010 deve ter o melhor desempenho dos últimos dez anos.

"Eu costumo dizer que, em ano ‘fraco’, o Natal é ‘alimentar’. A pessoa compensa um ano difícil comprando um champanhe, uma comida melhor. Em ano ‘forte’, é o Natal do presente, em que o consumidor se presenteia ou compra bens duráveis para dar de presente. Eu afirmo que esse ano o Natal vai ser dos dois tipos. As pessoas vão celebrar muitíssimo, colocando o que tiver de melhor na mesa", diz o executivo.

Nos nove meses até setembro, o Pão de Açúcar registrou vendas brutas de R$ 23,5 bilhões, o que significa um crescimento de 32,4% sobre a receita apurada no ano passado, considerando o mesmo período.

Mas o executivo leva em conta também um forte expansão do crédito ao consumidor. Para reduzir despesas financeiras, a empresa está encurtando o prazo dos financiamento concedidos a alguns clientes. Por outro lado, quer expandir a base de tomadores.

"A concessão de crédito no país ainda é muito pequena, e os níveis de inadimplência ainda estão historicamente baixos. E eu estou me referindo tanto ao mercado em geral quanto a nossa rede. Dentro da nossa parceria com o Itaú [ambos controlam uma financeira], nós queremos aumentar a aprovação de empréstimos mas sem aumentar os juros, porque nós vamos deixar as taxas de inadimplência baixas", diz o executivo.

Bethlem afirma que somente em linha de crédito pré-aprovado, disponível nos cartões da rede já distribuídos, há uma oferta "acima de R$ 10 bilhões". "E todo mês nós aumentamos essa base, mas num ritmo saudável".

O balanço do terceiro trimestre mostra que os pagamentos com cartão de crédito respondem por 46% dos pagamentos feitos nas unidades do grupo.

Casas Bahia

O Pão de Açúcar previa concretizar a fusão com as Casas Bahia até o final deste mês. Bethlem afirma que essa fusão já se concretizou, mas que ainda restam muitas "conquistas por fazer". "Ainda não começamos nada no setor de despesas, em termos de ‘back office’ [área de processamento de operações], nada no setor de TI [tecnologia da informação]. Mas já temos funcionários da Casas Bahia em 400 lojas proporcionando treinamento", afirma.

Formalizada em julho, a compra do controle das Casas Bahia transformou o Pão de Açúcar na quinta maior empresa do país, com R$ 40,2 bilhões de faturamento –considerando dados de 2009. Os grupos se tornaram sócios de uma nova holding, que é dona da Globex, rede de bens duráveis que era subsidiária integral do Grupo Pão de Açúcar.

Balanço

O Grupo Pão de Açúcar anunciou crescimento de 16,6 % nas vendas líquidas no terceiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. O volume correspondeu a um faturamento de R$ 7,1 bilhões no período. O resultado inclui as operações do Ponto Frio.

Apesar do crescimento nas vendas, o lucro líquido recuou 30,1% no período, para R$ 115,1 milhões. Segundo a empresa, o resultado foi afetado pela despesa financeira líquida registrada no período, que chegou a R$ 191,7 milhões.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.