Empreendedor - negócio criativos, inovadores e rentáveis

EMP 261 site Última edição Edição 261 December 2016 Assine

Pão de Açúcar mostra otimismo com segmento de e-commerce, afirma Citi

redacao 31/03/2011
redacao 31/03/2011

O guidance da Nova Pontocom para o período que vai de 2011 a 2013 anunciado pelo Grupo Pão de Açúcar (PCAR5) foi considerado bastante agressivo e otimista pelo Citigroup, já que a empresa assume taxas de crescimento muito altas em conjunto com aumentos substanciais de margem. Apesar disso, "nós acreditamos que exista espaço para revisões favoráveis em nossas estimativas para o negócio de e-commerce do Grupo", afirmam os analistas Carlos Albano e Marcio Kawassaki.

O banco reconhece que a empresa tem pela frente boas oportunidades de crescimento, sobretudo por conta do estágio inicial de desenvolvimento em que se encontra o segmento de comércio eletrônico. No entanto, indicam que é importante considerar os riscos de execução, principalmente caso a B2W (BTOW3), decidir atuar de maneira mais agressiva.

A B2W se posiciona entre os principais concorrentes da Nova Pontocom e representa uma ameaça à empresa caso realize estratégias focadas em preços. Após a capitalização, a B2W representa uma ameaça ainda maior, afirmam Carlos Albano e Marcio Kawassaki, do Citigroup.

Guidance
Para 2011 a 2013, as perspectivas de crescimento da Nova Pontocom ficam entre 30% a 50% acima do mercado. Segundo a previsão do E-bit, o mercado crescerá 30% neste ano, e o guidance para o segmento de comércio eletrônico do Grupo de Pão de Açúcar é superar a média do mercado entre 30% e 50% nos próximos dois anos.

Ainda em 2011, a projeção para a margem Ebitda (relação entre geração operacional de caixa e receita líquida) é de 6% a 7%, sendo que as estimativas do Citigroup se posicionam em 6,3%. Para 2013, projeta-se um aumento para a faixa entre 8% e 10%, contra o patamar de 6,5% estimado pelos analistas do banco.

Os ganhos de margem devem ser impulsionados sobretudo pelo avanço da margem bruta e pela redução dos preços de compra dos produtos, por conta das compras em conjunto com a Casas Bahia. As margens também serão beneficiadas pelas expectativas de vendas maiores de móveis, que ainda se encontram em estágio inicial.

Convém também destacar o Capex, que segundo o guidance da empresa será superior a 2% das vendas líquidas, contra 2,5% projetado pelo Citigroup. Os analistas do banco apontaram que esse número deixou os investidores intrigados, dado principalmente a forte discrepância quando comparado com o guidance para o capex da B2W, de 7% das vendas líquidas em 2011.
 

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.