Para 45% dos brasileiros, sustentabilidade é consumir de forma equilibrada

redacao 28/10/2010
redacao 28/10/2010

Consumir equilibrando necessidade e desejo. A afirmação reflete o conceito de sustentabilidade para 45% dos consumidores brasileiros, mostra pesquisa realizada pela GS&MD – Gouvêa de Souza, que constata os impactos da sustentabilidade no comportamento do consumidor.

O percentual de brasileiros que acreditam que sustentabilidade é consumir de modo equilibrado é maior que a média dos 17 países consultados para o levantamento, que foi de 37%.

Embora tenha registrado um percentual significativo, a resposta não foi a única citada pelos consumidores. A maioria (86%) dos brasileiros acredita que sustentabilidade é preservar o meio ambiente. No mundo, essa percepção atingiu 74% das respostas.

Reciclar o lixo apareceu em segundo lugar entre os brasileiros, com 75% das respostas. Na média dos outros países consultados, novamente, o percentual é menor, de 61%. A percepção de que os recursos são finitos foi citada por 45% dos brasileiros e por 50% dos consumidores de outros países.

Considerando ainda as cinco respostas mais citadas para a pergunta “o que é sustentabilidade?”, 26% dos brasileiros responderam "prover o básico para mim e para minha família". Essa resposta foi citada por 39% dos consumidores de outros países.

O que não é sustentabilidade?
Quando perguntados o que não é sustentabilidade, 11% dos brasileiros responderam "ser voluntário". No mundo, 9% afirmaram o mesmo.

Buscar o equilíbrio emocional e manter uma alimentação balanceada foram respostas citadas por 9% dos brasileiros e por 13% dos consumidores de outros países.

Ainda dentre as respostas mais citadas, 6% dos brasileiros afirmaram que ter tempo livre não é sinônimo de sustentabilidade, ao passo que 6% disseram que praticar esportes. No mundo, essas respostas foram citadas por 13% e 14% dos consumidores, respectivamente.

Sobre a pesquisa
O estudo Metaconsumidor – A sustentabilidade presente na visão do consumidor foi realizada em 17 países (Canadá, Brasil, Portugal, França, Reino Unido, Austrália, Estados Unidos, Argentina, Alemanha, Dinamarca, Espanha, China, México, Chile, Itália, Romênia e Turquia) em agosto deste ano.

Foram ouvidos 8.500 consumidores. No Brasil, foram realizadas 500 entrevistas, em São Paulo, Recife e Porto Alegre.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.