Última edição Edição 263 March 2017 Assine

Pequenos negócios têm o maior índice de confiança do ano

redacao 18/09/2013
redacao 18/09/2013

Bom resultado do ICPN demonstra que a economia brasileira recupera o fôlego

A confiança dos donos dos pequenos negócios atingiu em agosto o maior nível do ano. A boa expectativa econômica para o período foi apontada no último Índice de Confiança dos Pequenos Negócios (ICPN) medido mensalmente pelo Sebrae e que atingiu 120 pontos. Em relação ao último mês de julho, o índice cresceu seis pontos e se comparado com agosto do ano passado, nota-se um incremento de três pontos.

“Acreditamos que, com a melhora do nível de confiança dos pequenos negócios, há uma tendência de reaquecimento nas vendas nos próximos meses”, destacou o presidente do Sebrae, Luiz Barretto. Os empresários mais confiantes são os das regiões Nordeste e Norte, com 124 e 121 pontos, respectivamente. Como vem ocorrendo nos últimos meses, a Construção Civil continua liderando as expectativas dos pequenos negócios. O Índice de Confiança nesse setor chegou a 122, seguido pelo Comércio, com 121.

A confiança também é comprovada na expectativa de faturamento para o período que vai até outubro. De acordo com o último ICPN, 95% dos donos de micro e pequenas empresas no Brasil esperam aumentar ou manter o seu faturamento. “Em julho, 75% dos pequenos negócios registraram aumento ou estabilidade em termos de faturamento. Esse bom resultado, faz com que os empreendedores se sintam cada vez mais otimistas”, comenta o presidente do Sebrae.

O Índice de Confiança dos Pequenos Negócios (ICPN) é medido em uma escala que varia de 0 a 200. Acima de 100, o indicador aponta tendência de expansão das atividades, enquanto abaixo desse valor direciona para possível retração. A pesquisa abrange amostra de 5,6 mil empreendimentos de todos os setores – Indústria, Comércio, Serviços e Construção Civil, entre microempreendedores individuais, microempresas (que faturam entre R$ 60 mil e R$ 360 mil por ano) e negócios de pequeno porte (com faturamento bruto anual entre R$ 360 mil e R$ 3,6 milhões).

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.