Última edição Edição 262 January 2017 Assine

Perdas no varejo supermercadista representaram 1,96% da receita operacional em 2011

redacao 11/09/2012
redacao 11/09/2012

Pesquisa realizada pelo PROVAR/FIA (Programa de Administração do Varejo, da Fundação Instituto de Administração), em parceria com a ABRAS (Associação Brasileira de Supermercados), a Nielsen e o IBEVAR (Instituto Brasileiro de Executivos do Varejo), revela que as perdas no varejo supermercadista brasileiro somaram, em média, 1,96% da receita operacional das empresas em 2011, queda de 0,30 p.p. em relação a 2010, em que este índice chegou a contabilizar 2,26% do total.

Levantamento feito com 262 empresas brasileiras do setor de supermercados mostrou que as principais causas de perdas no varejo deste segmento são: Quebra operacional, com 33%; Furto externo, com 19%; Erros administrativos, somando 16%; Furto interno, com 15%; Fornecedores e outros ajustes contabilizam 10% cada.

Causas das perdas

Os produtos com validade vencida continuam registrando a maior causa da quebra operacional nas redes de supermercados do total com 35%, e apresentam um aumento de 6 p.p. em relação à última pesquisa, em que foi registrado 29%. Outras causas deste quesito avaliado são: produtos danificados por colaboradores (20%), produtos danificados por clientes (17%), causas adversas (16%) e embalagens vazias com conteúdo furtado (14%).

Para Claudio Felisoni, presidente do Conselho do PROVAR/FIA, a queda na média de perdas é causada pelo aumento de investimentos em prevenção. “Esse resultado promissor é fruto de iniciativas como a realização de mais treinamentos para colaboradores, como é caso de 28% dos supermercadistas entrevistados. Mas também deixa claro um potencial de melhoria presente na logística das empresas para evitar a quebra operacional”, comenta.

Sobre o Provar:

O Programa de Administração de Varejo da Fundação Instituto de Administração (FIA) foi criado em 1992 com o objetivo de promover pesquisas e oferecer treinamento para o setor, que é um dos maiores do terciário da economia brasileira e grande empregador da mão de obra. O propósito do programa é manter uma estreita parceria entre acadêmicos e executivos de organizações ligadas direta ou indiretamente ao varejo, à distribuição, aos serviços e ao mercado de consumo. O programa também tem por objetivo promover pesquisas, estudos, publicação, consultoria e treinamento para o setor de varejo de bens e serviços. Consolidado como o maior centro acadêmico de investigação nas áreas do varejo e mercado de consumo do Brasil, o Provar envolve a participação regular d e mais de cinquenta professores, vinte pesquisadores em caráter permanente, além de alunos do mestrado e doutorado da FEA/USP. Sob sua supervisão já foram realizados mais de 5 mil horas por ano de programas de treinamento, bem como projetos de consultoria e educação no Brasil e na América Latina (México, Chile e Argentina), tendo registrado em 2005 o treinamento de mais de três mil profissionais.

Sobre a FIA:

Eleita por três vezes, desde 2005, como a melhor Escola de Negócios do Brasil, a FIA, um dos mais conceituados e respeitados centros educacionais do País, possui 31 anos de atuação no setor. A Instituição de Ensino Superior (IES), credenciada junto ao MEC (Ministério da Educação), atua em três frentes: ensino, pesquisa e consultoria, capacitando-a para desenvolver estudos e prestar serviços nos mais variados campos de especialização da Administração.

Todos os MBAs oferecidos pela instituição alcançaram credenciamento junto à The Association of MBAs (AMBA), sediada em Londres, que referencia importantes escolas de negócios pelo mundo. Outro reconhecimento relevante foi concedido pelo jornal britânico Financial Times: o Pós-MBA, 25º colocado no ranking educação executiva da Financial Times em 2011.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.