Primeiro consórcio 100% digital deve começar a operar em breve no Brasil

A administradora Mycon vai automatizar desde a compra até a contemplação e irá reduzir os custos de estrutura e de gestão, o que deve refletir nas taxas praticadas

Redação 10/05/2018
Redação 10/05/2018

Mesmo diante de um grande impulso das Fintechs, como são chamadas as empresas startups de tecnologia que atuam no setor financeiro, com mais de 340 empresas de acordo com os dados de abril de 2018 da Asociação Brasileira de Fintechs (ABFintechs), o Brasil ainda não contava com uma nova opção no setor de consórcios.

Num levantamento do BID, em 2017, 60% das fintechs dedicavam-se a serviços de pagamento e empréstimo. Atentos à falta de iniciativas para criar uma disrupção no segmento de consórcios, que há mais de 50 anos opera com os mesmos processos, os irmãos Marcelo e Márcio Kogut lançam o Mycon, primeira Administradora de Consórcios 100% digital.

Com base na experiência de consultoria de tecnologia para o mercado financeiro há mais de 15 anos, a plataforma chega ao mercado num momento em que o Banco Central aposta nas fintechs para aumentar a concorrência e diminuir juros bancários e custos ao consumidor.

“Mapeamos o que faltava nesse mercado de fintechs e investimos nas tecnologias mais eficientes para desenvolver o Mycon, uma solução digital e compatível com a nova realidade de clientes”, explica Márcio Kogut.

As inovações do Mycon trazem a blockchain para segurança dos dados e inteligência artificial para prestar o atendimento ao cliente e atuar de forma consultiva, auxiliando o usuário a entender de maneira bastante transparente como funciona o sistema, suas vantagens e como o consórcio pode atender as necessidades de cada perfil.

“Também queremos ser uma plataforma para educar os novos consumidores a realizarem um planejamento financeiro que os permitam adquirir o bem”, complementa Marcelo.

O sistema de inteligencia artificial pode até, como ressaltam os criadores, “nem mesmo recomendar a aquisição de um consórcio. A recomendação vai depender da análise dos objetivos e do comprometimento da renda de cada interessado. Tudo isso de maneira rápida, simples e sem intermediários”.

O uso da tecnologia para automatizar processos desde a compra até a contemplação irá reduzir os custos de estrutura e de gestão de forma significativa, e isso vai refletir nas taxas de administração praticadas, que serão as menores do mercado.

Além disso, os canais digitais do Mycon vão aproximar o consórcio da geração Z e de novos consumidores, oferecendo o consórcio como opção de poupança programada para aquisição do carro, casa ou moto, sem juros e com um custo final bem menor do que os financiamentos tradicionais.

Inteiramente consolidado, o sistema de Consórcios viabiliza a aquisição de bens móveis e imóveis novos ou usados, construção e reformas e até serviços de quaisquer naturezas, com mais de 7 milhões de consorciados ativos no país. O segmento é monitorado pela ABAC (Associação das Administradora de Consórcios) e autorizado e fiscalizado pelo Banco Central, trazendo segurança e transparência para todos os participantes.

 

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.