Última edição Edição 262 January 2017 Assine

Programa insere o empreendedorismo no Ensino Superior

redacao 06/11/2013
redacao 06/11/2013

Convênio do Sebrae com 17 instituições do Paraná prevê a inclusão da disciplina nas instituições, além de cursos e palestras

Representantes de instituições de Ensino Superior e do Sebrae no Paraná firmaram nessa segunda-feira (4), na capital, um protocolo de intenções para a execução, no Paraná, do Programa Educação Empreendedora. A solenidade para assinatura dos primeiros convênios contou com a presença de reitores, professores e técnicos das instituições contempladas por edital nacional e conselheiros e consultores do Sebrae.

O Paraná foi o segundo estado do Brasil com o maior número de faculdades e universidades contempladas pelo Edital de Educação Empreendedora para Instituições de Ensino Superior, iniciativa do Sebrae Nacional em todo o país. Foram selecionadas 17 instituições paranaenses, localizadas em 12 municípios do estado e que agora se preparam para executar seus projetos, que vão desde a publicação de pesquisas e teses relacionadas ao tema empreendedorismo; a inclusão da disciplina de empreendedorismo na grade curricular ou em cursos de extensão; a realização do Desafio Universitário Empreendedor; além de cursos, palestras, até outras linhas que tratem da educação empreendedora.

“O empreendedorismo nas universidades é prioridade para o Sebrae no Paraná. Os jovens precisam ser estimulados para virarem empreendedores e empresários. Que bom que vocês, representantes das instituições de Ensino Superior do Paraná, estão assumindo esse compromisso”, destaca o presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae no estado e presidente da Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar), João Paulo Koslovski, que participou da assinatura do protocolo de intenções, na capital.

O programa Educação Empreendedora, que tem como objetivo inserir o empreendedorismo em todos os níveis da educação formal (Fundamental, Médio, Técnico e Superior) terá início em 2014 e vai durar dois anos. Ao todo, 27.360 alunos serão beneficiados.

Para o diretor-superintendente do Sebrae no Paraná, Vitor Roberto Tioqueta, a adesão maciça das instituições de ensino comprova a necessidade cada vez maior de preparação dos estudantes ao deixarem as universidades. “Já temos programas que levam o empreendedorismo para o Ensino Fundamental, Médio e Técnico. Agora, vamos disseminar a cultura empreendedora também nas universidades e dar suporte aos estudantes que desejam, ao sair das faculdades, virar donos do próprio negócio”, reforça Tioqueta, lembrando que os projetos não envolvem apenas cursos tradicionalmente ligados ao empreendedorismo, como Administração de Empresas e Contábeis, mas Medicina, Direito, Odontologia e Engenharia.

O superintendente do Sebrae no Paraná informa que os projetos relacionados à difusão do empreendedorismo, que serão executados pelas 17 instituições de Ensino Superior do Paraná, envolvem recursos de R$ 2,4 milhões, dos quais 68% serão de responsabilidade do Sebrae e o restante será aportado pelas próprias instituições. “Uma parceria que tem tudo para dar certo. O interesse demonstrado pelas diversas universidades e faculdades paranaenses são um sinal de que estamos no caminho certo”, reforça.

Transformação social

Para o reitor da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e conselheiro do Sebrae no Paraná, Zaki Akel Sobrinho, também presente na cerimônia, “ a educação é a maior ferramenta de transformação social que um povo pode ter. Uma causa que pode transformar o país. Hoje, estamos lançando uma semente e a resposta das universidades paranaenses foi vigorosa. Sejam federais, estaduais ou particulares”. Zaki Akel diz apostar nos projetos que serão executados e no potencial que têm em promover mudanças.

Eliseu Miguel Bertelli, diretor-geral da Faculdade de Pato Branco (Fadep), representante das instituições de Ensino Superior particulares, entende que o Edital do Programa Educação Empreendedora surge em um momento muito importante tanto para a empregabilidade quanto para o desenvolvimento dos municípios. Na sua avaliação, as universidades estão diante de um desafio que é a adoção de uma nova postura pedagógica para formar empreendedores. “Esse projeto é grandioso, porque atinge um grande números de alunos.”

Eder Rogério Estela, da Fecilcam – Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Campo Mourão, ressaltou a relevância de projetos como o Educação Empreendedora para fixar os alunos nas cidades. “Com a assinatura dessa parceria, avançaremos mais nas mudanças, fortalecendo cada vez mais o vínculo das universidades e sociedade”, acredita.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.