Empreendedor - negócio criativos, inovadores e rentáveis

EMP 261 site Última edição Edição 261 December 2016 Assine

Queda do dólar faz exportadoras perderem espaço, aponta CNI

redacao 10/12/2009
redacao 10/12/2009

A valorização do real frente ao dólar provocou uma perda de mercado pelas indústrias brasileiras, revela uma sondagem especial divulgada nesta quarta-feira, 27, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Segundo o levantamento, duas em cada três empresas que concorrem com produtos importados perderam participação no mercado doméstico e metade das empresas exportadoras deixou de exportar ou perdeu participação no mercado internacional nos últimos 12 meses.

O levantamento da CNI informa que em quatro setores – têxteis, calçados, vestuário e equipamentos hospitalares e de precisão – a competição com produtos importados é mais intensa e levou 75% das empresas a perderem participação no mercado doméstico. O documento avalia ainda que, embora mais expostas à concorrência com produtos importados, as grandes empresas estão mais preparadas para enfrentar essa concorrência.

A sondagem mostra que nove em cada 10 empresas adotaram alguma estratégia para aumentar a competitividade de seus produtos diante da concorrência dos produtos importados. Cinqüenta por cento delas reduziram os custos e 35% aumentaram o investimento em qualidade e design do produto. Em relação ao mercado externo, o levantamento mostra que as empresas de médio porte são as que apresentam maiores registros de interrupção das exportações em 2008 e queda na participação dos seus produtos no mercado internacional.

Em oito setores – móveis, têxteis, madeira, borracha, veículos automotores, minerais não metálicos, máquinas e equipamentos e equipamentos hospitalares e de precisão – mais da metade das empresas tiveram perda de participação dos seus produtos no mercado internacional. Por outro lado, alguns setores como limpeza e perfumaria, bebidas e papel e celulose aumentaram a sua participação no mercado externo mesmo com a valorização do real.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.