Empreendedor - negócio criativos, inovadores e rentáveis

EMP 261 site Última edição Edição 261 December 2016 Assine

Receita do setor de turismo já iguala indústria automobilística e de celulose

redacao 16/12/2013
redacao 16/12/2013

De janeiro a outubro, turistas estrangeiros deixaram 5,6 bilhões de dólares no Brasil. Valor é equivalente à receita de importantes setores, como a indústria automobilística e de celulose.

Dados divulgados pelo Banco Central mostram que o Brasil recebeu US$ 5,6 bilhões em sua economia este ano, no período de janeiro a outubro de 2013, por meio do turismo. O número representa um recorde histórico para o período e, convertido em moeda nacional, significa uma receita de R$ 11,8 bilhões ao país.

Os dados da pauta de exportações brasileira mostram que a receita gerada pelo setor de turismo no país foi superior à receita de exportações de diversos setores, como o de automóveis, que totalizou um valor de US$ 4,6 bi de janeiro a outubro de 2013, e semelhante ao valor das exportações do setor de papéis e celulose, cujo montante foi de cerca de US$ 6,0 bilhões no mesmo período.

O presidente da Embratur, Flávio Dino, destaca que esses números são o reflexo direto na economia brasileira do aumento da entrada de turistas. Este ano, o país bateu a marca histórica de 6 milhões de estrangeiros. “O turismo vem crescendo e continuará expandindo seu espaço na economia brasileira”, afirma Dino. “Trata-se de um segmento que tem tudo para ser um dos mais dinâmicos de nossa economia nos próximos anos, pelo uso intensivo de mão de obra, ambiente amigável a novos empreendimentos e sua produção ambientalmente limpa”. Atualmente, o turismo movimenta cerca de 3,6% do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro e emprega cerca de 10 milhões de trabalhadores por ano.

Movimentação econômica

O próximo ano deve marcar novo recorde na entrada de divisas. Um estudo desenvolvido pela assessoria técnica da presidência da Embratur mostra que, considerando apenas o dinheiro gasto por turistas brasileiros e estrangeiros durante os 30 dias de jogos da Copa do Mundo, a economia brasileira já terá retorno de todos os investimentos públicos feitos para garantir a realização do evento.

Baseado no gasto médio de turistas de eventos no Brasil e nos gastos realizados por estrangeiros na última edição da Copa do Mundo, em 2010, os economistas da Embratur estimaram que os brasileiros irão gastar R$ 18,35 bilhões em suas viagens. Já os estrangeiros devem gastar R$ 6,85 bilhões. A somatória final chega a R$ 25,2 bilhões.

O valor supera todos os investimentos públicos – em nível federal, estadual, municipal e via empréstimos de bancos federais – feitos ao longo dos anos para garantir a realização dos jogos, estimado em R$ 22,5 bilhões. Somando a investimentos privados, todo o investimento chega a R$ 28,1.

O valor de ganho direto com a Copa do Mundo equivale a mais de 30 vezes o gasto de turistas na Jornada Mundial da Juventude (JMJ). A Embratur estima que os turistas que vieram ver o Papa Francisco desembolsaram, ao menos, R$ 660 milhões no Rio de Janeiro. Na Copa das Confederações, realizada em junho último, a estimativa é que turistas – brasileiros e estrangeiros – gastaram cerca de R$ 321,79 milhões.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.