Rede de supermercados desenvolve ações voltadas à sustentabilidade ambiental

redacao 27/09/2013
redacao 27/09/2013

por Raquel Rezende

Cuidados com o meio ambiente começaram juntos com a fundação da empresa em 1997

Com ações voltadas para a preservação ambiental desde a sua criação, a rede de supermercados Hippo de Florianópolis busca conscientizar os clientes sobre a importância de preservar o meio ambiente, através de pequenas mudanças de atitude e hábitos diários. Oferecer caixas para o transporte de mercadorias, disponibilizar sacolas e carrinhos retornáveis, separar e destinar corretamente o lixo e arrecadar óleo de cozinha usado integram algumas das atividades que a rede desenvolve com o propósito de sustentabilidade ambiental. Na ação que arrecadou óleo de cozinha usado, o Hippo teve destaque como o estabelecimento que mais conseguiu recolher o óleo, ajudando a capital catarinense a conquistar espaço no Guinness Book.

Conforme relata a assessora de marketing do Hippo, Tatiane Pereira, os cuidados com o meio ambiente começaram juntos com a fundação da empresa em 1997. A primeira loja abriu as portas oferecendo caixas de papelão, que vinham do estoque, como alternativa às sacolas plásticas. A ideia para arrecadar óleo de cozinha começou em 2001 e as primeiras sacolas retornáveis foram oferecidas aos clientes em 2007, sendo uma novidade para a época em uma ação pioneira na oferta deste item como forma de ajudar o meio ambiente. “O Hippo tem 15 anos e essas ações já existem há bastante tempo. A preocupação com a causa ambiental faz parte do DNA da empresa, pertence aos valores e filosofia da rede”, afirma Tatiane.

A atuação do Hippo para incentivar a arrecadação do óleo de cozinha foi marcante. Conforme conta Tatiane, a rede contribuiu com mais de 630 litros do óleo arrecadado, tornando-se a entidade que mais ajudou a conquistar um lugar no Guinness Book para Florianópolis. O projeto denominado ReÓleo foi criado e desenvolvido pela Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (Acif) e durante um mês mobilizou comércio, indústria, escolas, famílias, empresas e imprensa para fazer com que a capital catarinense conquistasse o título da cidade que mais arrecadou óleo de cozinha usado. “Todos fizeram sua parte, reciclando mais de 18 mil litros do dejeto. Lembrando que 1 litro de óleo de cozinha pode contaminar outro milhão de litros d’água de rios e mares”, comenta Tatiane.

P rimeira loja abriu as portas oferecendo caixas de papelão como alternativa às sacolas plásticas

Apesar da intensificação da ação ter ocorrido para mobilizar as pessoas com o propósito de levar Florianópolis ao livro dos recordes, a rede Hippo tem o programa de reutilização de óleo de cozinha desde 2001 com grande número de clientes que contribuem com a coleta. O consumidor pode levar o óleo para a coleta na frente da loja e o supermercado dá a destinação correta ao item. Tatiane afirma que todas essas ações desenvolvidas pelo Hippo estão previstas no plano de direcionamento de resíduos da empresa.

Para incentivar o uso de sacolas retornáveis, o Hippo desenvolve diferentes estratégias para conscientizar o consumidor. O supermercado dispõe de um caixa exclusivo para os clientes que não desejam usar as tradicionais sacolas plásticas. Existe também o caixa sem sacola para atender aqueles que não necessitam de sacolas e como benefício não precisam ficar nas filas. Além disso, a cada oito passagens pelo caixa com sacola retornável, o cliente ganha adubo que também é resultado da destinação correta do lixo orgânico em uma parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). “Todo nosso lixo orgânico é diretamente encaminhado a um projeto da universidade, que leva os dejetos para uma fazenda e os transforma em adubo. Em seguida, recebemos esse adubo e fazemos uma ação de fidelização com o cliente em troca de passagens no caixa com sacola retornável”, explica Tatiane.

Também disponível nas lojas, as caixas retornáveis com design e marca do Hippo estão ganhando adeptos. São ecologicamente corretas, pois são feitas de papelão reciclado e destinadas ao uso contínuo, e garantem o transporte seguro das mercadorias. Segundo Tatiane, testes de durabilidade mostraram que a caixa pode suportar até 100 ciclos (sobe-desce) com carga de 29 quilos. “Outra preocupação que sempre temos é em não cobrar do nosso cliente que ele adote apenas uma de nossas ações. Por isso diversificamos as opções. Lançamos em 2012 uma charmosa linha de carrinhos de compra, feitos de tecido, que o cliente adquire sem margem de lucro ao Hippo, e pode usar sempre que for às compras”, destaca a assessora de marketing da rede.

Tatiane enfatiza ainda que em agosto de 2011 foi sancionada uma lei nacional que exige das empresas um plano de direcionamento de resíduos sólidos. “Acredito que a lei junto à vontade das empresas em contribuir para ajudar na causa da preservação vai fazer mais empresários olharem com atenção para isso”, diz. Tatiane defende ainda que se as empresas pararem para repensar seu papel na sociedade vão se dar conta de que precisam ter cada vez mais um foco social de verdade.

Para o futuro, o Hippo planeja diminuir ainda mais o acúmulo de dejetos sólidos das duas lojas que hoje está em 3%. E inserida no projeto de expansão da rede, uma nova loja do Hippo está prevista para ser inaugurada no primeiro condomínio sustentável da América Latina, localizado em Palhoça (SC). “Vamos abrir nesse espaço, pois o perfil da empresa combinará bem com a proposta do lugar”, afirma Tatiane.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.