Empreendedor - negócio criativos, inovadores e rentáveis

EMP 261 site Última edição Edição 261 December 2016 Assine

Setor de serviços ajudou Brasil a enfrentar crise econômica mundial, mostra IBGE

redacao 26/09/2012
redacao 26/09/2012

O setor de serviços não financeiros cresceu mais do que a economia como um todo e contribuiu de forma estratégica para a recuperação brasileira da crise mundial de 2008. É o que mostra a Pesquisa Anual de Serviços (PAS) 2010, divulgada hoje (26) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com os dados, de 2007 para 2008 a receita operacional líquida dessas empresas cresceu 11,4%. Após o início da crise, o setor desacelerou e teve crescimento real de 6,1% em 2009. Mas em 2010 houve retomada, com crescimento de 11,2% .

“O ano de 2010 realmente foi de recuperação em relação ao ano anterior, a gente pode dizer que o setor de serviços ajudou a impulsionar a recuperação da economia como um todo”, destaca a pesquisadora do IBGE Ana Carla Magni.

Ela cita quatro segmentos que tiveram destaque no setor: os serviços de manutenção e reparação, as atividades imobiliárias, os serviços prestados principalmente às famílias e os serviços profissionais, administrativos e complementares.

Considerando os dados de 2007 a 2010, a receita do setor teve crescimento de 31,6%, já descontada a inflação, com destaque para o setor de serviços de manutenção e reparação, que teve aumento de 63%, e de atividades imobiliárias, que apresentou crescimento de 59,8% na receita.

Nos salários, o crescimento de 2007 a 2010 chegou a 38%, com destaques também para atividades imobiliárias (50,6%) e serviços de manutenção e reparação (45,3%).

A pesquisa usou dados de 992.808 empresas de serviços não financeiros, divididas em sete segmentos e agrupadas conforme a finalidade de uso: serviços prestados principalmente às famílias; serviços de informação e comunicação; serviços profissionais, administrativos e complementares; transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio; atividades imobiliárias; serviços de manutenção e reparação; e outras atividades de serviços.

De acordo com o IBGE, os serviços que fazem parte dessa pesquisa responderam, em 2009, por 13% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, que é a soma de todas as riquezas produzidas no país. Se forem levados em conta os serviços como um todo, o setor compõe 67% do PIB.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.