As 5 tecnologias de pagamento que vão transformar a experiência digital do consumidor em 2018

A etapa final do ciclo de compras no e-commerce precisa ser ágil e descomplicada para facilitar a vida dos clientes e, claro,
oferecer a eles uma experiência de compra agradável

Redação 10/01/2018
Redação 10/01/2018

O ecommerce brasileiro cresce rapidamente e não está mostrando sinais de desaceleração. Dados do Ebit estimam movimentação no comércio eletrônico de R$ 48,8 bilhões em 2017, um crescimento de 10% em relação ao ano anterior. Conforme a compra de produtos e serviços online se torna mais popular, os consumidores também ficam mais exigentes.

Os varejistas estão inovando rapidamente para oferecer novas soluções, tecnologias e, consequentemente, experiências. Com os pagamentos, a etapa final do ciclo de compras no e-commerce, a demanda por novidades se intensifica e estas questões tornam-se decisivas para fidelizar clientes. Nada de checkouts lentos, plataformas de pagamento cheias de cliques ou cadastros extensos para efetuar a compra – estes são apenas alguns dos atritos que podem ser um entrave para toda a jornada de compra.

Confira, então, algumas tecnologias de pagamento que prometem derrubar as barreiras da experiência do consumidor em 2018:

Pagamento recorrente em débito sem autenticação

No Brasil, até poucos meses atrás, não exigir autenticação para pagar era algo exclusivo para os assinantes com cartões de crédito. Para os cartões de débito, por outro lado, era mandatório que as transações online passassem por uma camada adicional de autenticação, direcionando o consumidor para a página do banco emissor, onde ele precisava digitar sua senha e autorizar o pagamento. E isso é um impeditivo para empresas que querem oferecer uma experiência de cobrança de mensalidades recorrentes “invisível” ao cliente, no débito. Portanto, muitas não estavam oferecendo a modalidade de débito como forma de pagamento.

Mas isso afetava muita gente? Dados da ABECS apontam que de janeiro a setembro de 2017, os brasileiros realizaram 5,4 bi de transações por cartões de débito, contra 4,4 bi em cartões de crédito. O uso do cartão de débito teve um crescimento de cerca de 10% quando comparado ao mesmo período de 2016 – já para o cartão de crédito, o crescimento foi de 4%.

Por isso, a Adyen desenvolveu para seus clientes brasileiros, entre eles o Uber e a Netflix, a opção inédita de cadastrar pagamentos com cartão de débito sem a necessidade de autenticação. Isso foi possível graças à plataforma tecnológica da empresa, que baseia suas estratégiasde de combate à fraudes no tratamento inteligente de um alto volume de dados.

Pagamento via aplicativo

Muitas empresas ainda utilizam o navegador como seus canais mobile de vendas. Em um cenário onde 52% das compras online são feitas por dispositivos móveis, como apontam dados globais da Adyen de outubro de 2017, muitos varejistas online estão olhando esta oportunidade para alavancar suas lojas in-app.

Realizar o pagamento em uma plataforma acessível e intuitiva, sem precisar se desviar da experiência de compra ou sair do aplicativo para pagar, é o principal atrativo desse tipo de compras para os consumidores, algo que a 99 e o iFood, também clientes da Adyen, oferecem aos seus usuários. Quem disponibilizar a facilidade do cliente adquirir produtos e serviços via app, certamente sairá na frente dos concorrentes na corrida para fidelizar mais consumidores.

Atualização automática dos dados de cartões

Até pouco tempo atrás, refazer cadastros em sites, apps e plataformas de e-commerce era uma barreira obrigatória para quem precisava emitir um novo cartão por qualquer motivo – de perda a roubo. A nova tecnologia de atualização automática de dados simplifica esse processo, derruba essa barreira e agiliza a vida do consumidor.

Lançada pela Adyen com o nome de Account Updater, essa tecnologia inédita elimina a necessidade de recadastramento dos dados de pagamento por parte do cliente. Agora, esse processo pode ser feito diretamente pelos e-commerces clientes da Adyen, que manterão as informações dos dados de cartão nas bandeiras Visa e Mastercard, sempre atualizadas. Isso evita o churn involuntário, interrupções ou atrasos na entrega de produtos e serviços para os consumidores, que muitas vezes têm suas assinaturas canceladas ou suspensas por falta de dados atualizados.

Carteiras digitais

Cartões de crédito, débito e boleto já não são as únicas formas de pagar por compras online no Brasil. Empresas de pagamento e as gigantes de tecnologia estão trazendo suas carteiras digitais ao país. Um exemplo é o “Pagar com Google”, lançado globalmente pelo Google em novembro de 2017, em parceria com a Adyen, que foi a primeira empresa a processar os pagamentos via o novo serviço.

O “Pagar Com Google” permite que consumidores realizem compras com um único toque em dispositivos móveis que operem com Android ou em navegadores Chrome, sem a necessidade de inserir repetidamente as informações de pagamento ou endereço de entrega, que agora podem ficar armazenados em um perfil digital do usuário no sistema do Google. Já estão integrados ao Pagar Com Google, por meio da plataforma da Adyen, empresas como iFood, Hotel Urbano e Peixe Urbano.

Inteligência de dados

Dados da Serasa Experian apontam que 79% das empresas brasileiras utilizam dados de Big Data para melhorar o atendimento e proporcionar melhores experiências para os consumidores. No entanto, boa parte das empresas ainda não percebeu que os hábitos de pagamento são uma fonte valiosa de dados para aumentar conversão, melhorar experiência de compra e alavancar negócios.

O processo de pagamento permite captar e analisar múltiplas informações, entre envio para aprovação e retorno. Serviços como o RevenueAccelerate da Adyen permitem identificar, por exemplo, a causa raiz por trás das transações negadas. Em média, 15% das transações online globais são declinadas. Deste total, 5% ainda podem ser convertidas em pagamentos autorizados, pois apenas dois terços delas acontecem por razões como fraude ou cartões inválidos. Inteligência em tratamento de dados é a chave para gerar mais conversões e, consequentemente, para que os consumidores tenham uma experiência melhor com suas transações aprovadas.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.