Varejo e franchising devem se preparar para o aumento do consumo, explica consultora

redacao 03/02/2011
redacao 03/02/2011

Consultora Melitha Novoa Prado destaca as atitudes do Governo que beneficiariam o setor varejista

A maior distribuição de renda iniciada no Governo Lula deve ser um dos focos do atual Governo. Esse fato desencadeia maior consumo, algo benéfico para o setor varejista. “Porém, preocupa-me a falta de infraestrutura para atendimento de maior demanda, que pode ocasionar uma série de problemas de desabastecimento e insatisfações dos novos consumidores, com grande ânsia de consumo e poder de compra”, pondera Melitha Novoa Prado, consultora de varejo e franchising nas áreas jurídica e estratégica.

A consultora aconselha que, antes de mais nada, as empresas se preparem para o exigente cliente da classe C, investindo em logística e distribuição; serviços de atendimento ao cliente; assistência técnica; treinamento de vendas e comunicação. “Há muita facilidade, hoje, de se usarem os canais de Internet como centros de suporte online, por exemplo, com atendimentos virtuais e SAC´s eficientes. Há muito o que ser feito também na hora da venda, já que o cliente bem orientado sobre um produto costuma escolher melhor o que comprar e não se frustra. As empresas precisam pensar nos detalhes, que podem custar pouco e fazer a diferença”, diz.

A parte do Governo

Não são só as empresas que precisam se empenhar para atender melhor. “O Governo Dilma também precisa fazer sua parte na concretização das reformas política, tributária e trabalhista. Esses três fatores atingem diretamente o setor varejista e o franchising e sem a flexibilização das leis à situação atual não haverá desenvolvimento. Não existe opção de se iniciar uma novo negócio com possibilidade de crescimento num país ainda tão atrasado politicamente, com tantas falcatruas públicas envolvendo corrupção e leviandade. É realmente assustador e ainda muito penoso assistirmos o nascimento de uma juventude tão empreendedora, com sangue nas veias e com força de realização, num país tão próspero e promissor, mas ainda tão atrasado em questões legais, éticas e políticas”, completa.

Especificamente para o Franchising, também será importante uma reforma na Lei 8.955/94, que rege o sistema no Brasil. “Algumas propostas já tramitaram na Câmara, mas é preciso que haja um estudo amplo da matéria e que os representantes do sistema sejam ouvidos. Com as reformas citadas, certamente o desenvolvimento brasileiro será acima do previsto”, finaliza.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.