Empreendedor - negócio criativos, inovadores e rentáveis

EMP 261 site Última edição Edição 261 December 2016 Assine

Varejo foi fundamental para crescimento do PIB ao viabilizar a incorporação da nova classe média ao mercado de consumo

redacao 09/03/2012
redacao 09/03/2012

 

Varejo foi fundamental para crescimento do PIB no Brasil ao viabilizar a incorporação da nova classe média ao mercado de consumo

Pelo oitavo ano consecutivo, as despesas de consumo das famílias brasileiras registraram aumento. De acordo com dados divulgados nesta semana pelo IBGE, o crescimento deste setor foi de 4,1%, superando o do PIB, que ficou em 2,7%.

O varejo teve um papel fundamental neste crescimento do PIB, pois expandiu sua rede de atendimento para viabilizar a incorporação da nova classe média emergente ao mercado de consumo. “As redes varejistas conseguiram reduzir os preços dos produtos, levando a estes consumidores os bens que tanto aspiravam, e também desenvolver e criar novos produtos, adaptados ao gosto deste público. O varejo tornou-se o modernizador dos hábitos de consumo desta nova classe”, analisa Fernando de Castro, presidente do IDV (Instituto para Desenvolvimento do Varejo).

Muitos fatores contribuíram para este crescimento do varejo acima do registrado pelo PIB. Um deles é que as empresas varejistas se prepararam para atender a esta demanda de consumo, o que acabou, por consequência, sendo elemento importante na geração de empregos. Em 2011, o comércio criou 460 mil novos postos de trabalho.

Aliado a este fator, está a desoneração do IPI para os eletrodomésticos de linha branca, que contribuiu muito para este crescimento. Caso seja mantida pelo governo, poderá levar a um crescimento ainda maior do setor. Em 2011, o consumo das famílias atingiu o valor corrente de R$ 2.499,5 bilhões, e o da administração pública, R$ 856,6 bilhões.

“Desde 2004, o varejo tem crescido acima do PIB e ajudado a fomentar a economia brasileira. Mesmo com a crise internacional do ano passado e a desaceleração da economia, o setor cresceu pelo oitavo ano consecutivo, impulsionado pelo aumento da renda e do emprego e pela expansão do crédito. E temos que elogiar a medida adotada pelo governo de desonerar o IPI de alguns produtos, que propiciou redução do preço final para o consumidor e aumento de empregos no varejo”, conclui Castro.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.