Felipe Salvini

De um trabalho de conclusão de curso na PUC-Rio surgiu a empresa pioneira e líder em precificação inteligente no Brasil

Por Revista Empreendedor 30/01/2015
Por Revista Empreendedor 30/01/2015

O projeto do estudante Felipe Salvini para concluir o curso superior de informática, na PUC-Rio, transformou-se na primeira empresa que oferece serviços de precificação inteligente para e-commerce no Brasil. A inovadora ideia de Salvini também deu origem ao segmento no País. Junto com Luis Vabo Jr., que assumiu a área comercial do negócio, construiu a Sieve, empresa líder em inteligência de preços e dados no e-commerce brasileiro. O software, desenvolvido pela Sieve, começou monitorando cerca de 7 mil lojas virtuais e 2 milhões de produtos, 24 horas por dia. As informações colhidas pela ferramenta são entregues aos varejistas e fabricantes e, assim, eles podem se programar para atingir novos patamares de produtividade e competitividade. Com pouco tempo de mercado, a Sieve conquistou reconhecimento pela inovação e capacidade de capturar dados em alta precisão, desenvolvendo análises em interfaces ágeis e acessíveis de qualquer lugar, a qualquer hora.

O trabalho da Sieve, que começou incubada na PUC-Rio, em 2010, centrava-se no monitoramento das lojas virtuais e, para isso, a empresa direcionava seu robô a observar os preços e estoques de cada um dos produtos comercializados. Após chegar ao que seria o ideal do serviço a ser oferecido, a Sieve tinha que chegar aos clientes. Assim, no início de 2011, a empresa começou com um cliente e terminou o ano com 100. “Percebemos que existia a necessidade de monitorar o concorrente. A Lojas Americanas queria monitorar o Ponto Frio. O Magazine Luiza precisava saber quais eram os preços do Wallmart, e dessa forma seguia”, conta Vabo. Os dados fornecidos pela Sieve às empresas contratantes são públicos, o diferencial é que são informados em tempo real conforme mudam e, segundo Vabo, um produto pode sofrer oito alterações de preços ao dia. Além do varejo, a indústria também demonstrou interesse em monitorar os seus concorrentes. Dessa forma, a demanda pelo serviço ofertado pela Sieve foi crescendo e, atualmente, a base de dados da empresa é composta por 4 milhões de produtos em 8 mil lojas virtuais.

Por causa da necessidade de monitorar o concorrente, atendido pela Sieve, foi criado o segmento de inteligência de preços no País. “A Amazon já utiliza os serviços de precificação inteligente há bastante tempo, nos EUA. Agora, esse mercado desponta com força no Brasil, acompanhando os números do e-commerce no País que cresce em média entre 20% a 30% ao ano”, comenta Vabo. A Sieve monitora, analisa a concorrência e, além disso, disponibiliza ao cliente a opção de precificação dinâmica, no qual o preço do produto no site pode ser alterado automaticamente, conforme os dados da concorrência. Esse processo acontece após a observação e constatação de alguns dados, conforme explica Vabo, entre eles, o histórico de vendas e o número de visitas no site. E, assim, a venda é maximizada e a rentabilidade do cliente fica garantida.

A aceitação da Sieve no mercado também foi crescendo e a empresa deixou de ser startup para se tornar uma companhia mais robusta com toda a estratégia de negócios bem definida. Em 2012, a empresa registrou expansão nove vezes maior do que no ano anterior e por isso teve que dar um salto do ponto de vista operacional. Esse período é considerado por Vabo um dos mais difíceis vividos pela empresa desde quando começaram, porque eles precisaram adaptar a empresa para atender a todos os clientes. “Crescemos muito rápido e tivemos que voltar atrás para nos ajustar. Foi um momento de preparar a plataforma para entregar o produto que vendemos”, lembra. Outro momento crítico vivido pela dupla, conta Vabo, aconteceu no começo da Sieve quando eles tinham a ideia do software e precisavam testá-la para saber se realmente era interessante, vendável. “Isso aconteceu na virada de 2010 para 2011, quando o nosso serviço era uma incógnita”, relata Vabo.

Mais tarde, eles saberiam que a ferramenta desenvolvida teria clientes, mas não imaginavam que seria tão inovadora a ponto de posicionar a Sieve como uma empresa Endeavor (organização de fomento ao empreendedorismo) e ainda de ser reconhecida com o Prêmio E-Commerce Brasil 2013, na categoria Inovação. Apesar de tudo isso, Vabo considera a palavra sucesso muito perigosa. Ele afirma que o sucesso de ontem pode ser o fracasso de amanhã, por isso diz que tenta conduzir os negócios da Sieve totalmente fora da zona de conforto e com foco no sonho de transformar o segmento de precificação inteligente em um serviço indispensável no País.

Sonhar grande e entender bem o propósito do negócio, ou seja, o que entregar ao cliente, são itens que Vabo considera importantes para alcançar êxito nos negócios. Como empreendedor, Vabo não concorda com a atitude de muitas pessoas – que estão querendo começar suas empresas – de não contar a sua ideia para ninguém. “A minha sugestão é que fale o máximo possível, pois dessa maneira vai receber mais feedback e a ideia original somada a todas as avaliações que recebeu poderá ser melhorada”, acredita. Ele acrescenta que ideia não vale nada, o importante é executá-la. E para concretizar o plano, é necessário sonhar e trabalhar. E o sonho grande da Sieve agora é, em um período de cinco anos, ser responsável pela mudança de nove a cada dez preços na internet brasileira.

RAIO-X: Luis Vabo Jr.

Cidade natal: Rio de Janeiro

Formação: Engenharia de Produção pela PUC-Rio, mestrado em Administração pela UFRJ com extensão em Lyon, na França

Idade: 28 anos

RAIO-X: Felipe Salvini

Cidade natal: Rio de Janeiro

Formação: Informática pela PUC-Rio. Curso na área de informática pela Universidade de Harvard

Idade: 30 anos

RAIO-X Sieve:

Data de fundação: Abril de 2010

Cidade-sede: Rio de Janeiro, com escritório em São Paulo

Ramo: Tecnologia que presta serviços de precificação inteligente para e-commerce

Funcionários: 85