As cadeiras do seu negócio estão definidas de forma eficaz?

Conceitualmente, qualquer tipo de organização coletiva, constituída com um ou mais objetivos, é, na verdade, um grupo de pessoas que trabalham juntas, compartilhando os mesmos objetivos, desafios e conquistas. Independente da finalidade do grupo, seja ela financeira, social ou altruísta, o progresso das atividades conjuntas, somente, será possível se as pessoas trabalharem organizadas, executando estratégias planejadas e alinhadas com os mesmos objetivos.

Nos negócios, acontece a mesma coisa: o crescimento/ desenvolvimento da empresa, somente, será possível se as pessoas que ali trabalham, exercerem as suas atividades de forma coordenada e planejada. Assim, ao estruturar qualquer empresa, lidamos com a gestão do negócio através da gestão de pessoas, e o desenvolvimento das pessoas, gera a evolução do negócio. Por isso, focar nesta dinâmica se torna essencial, considerando o papel da gestão no negócio e as suas possibilidades de melhorias na empresa.

Vamos considerar os termos “pessoas” e “cadeiras”, ou seja, deve haver um “papel” para cada pessoa na empresa. Quando me refiro à cadeira, quero dizer o cargo, a posição que a pessoa ocupa ou vai ocupar naquela estrutura hierárquica e suas respectivas atividades.  Na situação do sócio e o do gestor do negócio, por exemplo, há de se definir muito bem os papéis (cadeiras) a serem desempenhados por cada um. Um erro muito comum nas empresas é justamente a falta de clareza nesta definição: o sócio deve atuar no nível estratégico, identificando oportunidades para desenvolver as propostas de valor do seu negócio através dos produtos/ serviços que oferece no mercado alvo.

Ainda, estabelecer o rumo da companhia, de acordo com o modelo do negócio, que entrega a estratégia de valor. O gestor deve assegurar que a estratégia definida se torne realidade, aconteça, ou seja, implementar / aprimorar o modelo que entrega a estratégia de valor.

Assim, o trabalho de estruturação da empresa deve ser composto, basicamente, por três dinâmicas de atuação, interdependentes e alinhadas com o planejamento estratégico do negócio: 1. A estratégia que vislumbra uma oportunidade no mercado, 2. O modelo do negócio que “entrega este valor” e 3. A estrutura de gestão (gestores + equipes) que executam  desenvolvem o modelo do negócio. A gestão está estruturada no tripé: definição da dinâmica de trabalho – processos, ações e rotinas daquele negócio; descrição das funções e responsabilidades do ocupante de cada cadeira, ou seja, quem faz o que em cada ações / rotinas e os controles / métricas sobre as atividades definidas para checar o quanto e como elas estão acontecendo, ou seja, a base dos resultados do negócio.

A dinâmica da gestão do negócio: está em cada gestor realizar o desenvolvimento de cada pessoa, segundo a “cadeira” que está ocupando, ou seja, a “cadeira” viabiliza o plano de desenvolvimento individual (a antiga “carreira”), ou seja, conforme a pessoa desenvolver-se em uma cadeira, poderão ocorrer oportunidades / novos ciclos de desenvolvimento para a pessoa e, consequentemente, o desenvolvimento da empresa, uma vez que somam-se todas as pessoas e cadeiras nesta dinâmica da empresa.

 Quando abordamos o desenvolvimento das pessoas e cadeiras, existem três aspectos já bastante conhecidos que são o conhecimento (teoria), a habilidade (prática) e a atitude (vontade), metodologia consolidada e amplamente conhecida como “CHA”. A identificação, motivação e promoção pelo gestor, das forças a serem maximizadas e dos desafios a serem trabalhados nas características técnicas e comportamentais do colaborador, possibilita que o colaborador busque a evolução de seu desenvolvimento.  A terceira dinâmica é justamente o momento para mesclar as necessidades do negócio com as características das pessoas. Atuar neste mix, representa o papel do gestor eficaz e deve ser desenvolvido diariamente pelo mesmo, com o acompanhamento direto popularmente conhecido como “ombro a ombro”, atuando no desenvolvimento em “Y” com a respectiva Motiva+ação da pessoa.

A dinâmica das pessoas, estudada acima, propõe uma receita perfeitamente aplicável, testada em qualquer tipo de negócio, com variáveis conhecidas que, seguidas passo a passo, podem levar o seu negócio a obter excelentes resultados e um crescimento orgânico exponencial. Ao desenvolver seus negócios, empresários, empreendedores e gestores, de qualquer área, devem entender a importância e garantir que pessoas mais adequadas ocupem as cadeiras de suas organizações.

Por: Rogério Vargas, Sócio da Auddas