Talento nato para os negócios?

Marcelo Ponzoni 17/11/2014
Marcelo Ponzoni 17/11/2014

Seguindo a proposta direta deste artigo, que tem como questionamento a identifica­ção de um talento nato para o mundo dos negócios, vou me ater ao tema. Em todos esses anos de trabalho e centenas de en­trevistas realizadas, consegui identificar no máximo três ou quatro vezes este chamado “talento nato”, e algumas características fo­ram muito marcantes, pois ficou claro, para mim, como identificar este perfil.

Ele é composto por um pacote, um con­junto notável que rapidamente se destaca dos demais. Trata-se de uma mescla de entusias­mo, paixão, vontade, carisma, convicção, am­bição, desejo, um tipo de obsessão positiva, um querer inquieto, determinado a enfrentar o que der e vier para alcançar seus objetivos.

Nos jovens com essas características, normalmente ressaltam as enormes ansie­dades e afobações, o que denuncia mais um sinal do ser nato.

É comum perceber suas atitudes após as provocações que faço na busca da identifica­ção. Costumo testá-los com tarefas e prazos, procuro instigá-los com iscas provocativas, tento, além das minhas percepções, buscar fa­tos que me comprovem as percepções iniciais.

Nestas tarefas que envolvem leituras e mudanças de hábitos, logo ficam evidentes as questões de vontade e entusiasmo. Às ve­zes penso como eu seria se tivesse cruzado meu caminho um mentor que se dispusesse a explicar com paciência tudo que muitas ve­zes já fiz com jovens promissores.

O fato de ser nato ou não está muito mais ligado às predisposições e vontade do que a algo ligado a dom ou à aptidão. Estes jovens, assim como me considero até hoje, são inquietos por natureza, querem comer o tempo, são dinâmicos em suas existências, chegam a viver outras dimensões no mesmo espaço e tempo dos outros. São eternos in­satisfeitos dentro de suas plenas satisfações. Nota 10, 100%, completo, fim, topo e outras denominações finitas não serão possíveis de alcançar, pois esses indivíduos sempre que­rem mais de si mesmos.

Chegar é somente uma etapa. Conquis­tar é somente mais uma possibilidade. A ba­talha vencida jamais se faz como fim de uma guerra. Os desafios são provações. O não se faz única e exclusivamente como combustí­vel da imediata resiliência.

Se você sente tudo isso ou conhece al­guém assim, pode ter uma certeza: você está diante do chamado empreendedor nato.