Elas no mundo da tecnologia: “o equilíbrio e a diversidade que ajudam a prosperar”

Alina Vanderbergue

 Dados da McKinsey e da IBM apontam que as empresas que têm mais mulheres em cargos executivos geram desempenho mais alto e melhor

 

A co-fundadora da Chili Piper, Alina Vandenberghe, trabalhou no desenvolvimento da primeira geração do iPad, lidando diretamente com Steve Jobs. Após suas experiências profissionais, Alina consolidou a sua carreira e decidiu ampliar as oportunidades para as mulheres e profissionais de tecnologia. Hoje a empresa fundada por ela e o marido Nicolas, em 2016, tem 50% de sua equipe de liderança formada por mulheres, mais de 180 funcionários e ultrapassa mais de US$15 milhões de faturamento anual.

A Chili Piper é uma plataforma que facilita agendas de reuniões com clientes corporativos e suas equipes de vendas. Seus produtos de qualificação, roteamento e reserva ajudam as equipes de geração de demanda a converter mais leads em reuniões assistidas, as equipes de vendas reservam mais demonstrações mais rapidamente e as equipes de sucesso do cliente reduzem o tempo de retorno. Empresas como Intuit, Twilio, Forrester, Spotify e Gong usam Chili Piper para dobrar suas taxas de conversão de entrada, eliminar o agendamento manual de leads e otimizar processos críticos em torno das reuniões. Com funcionários em 133 cidades em 27 países, a empresa estimula o marketing de vendas.

“As mulheres são estatisticamente melhores ouvintes, o que as torna melhores em vendas”

 

Para apoiar as mulheres na tecnologia, além de defender a paridade salarial plena, independente do gênero, Alina está sempre compartilhando seus conhecimentos e experiências.

 

Você pode nos contar um pouco mais sobre sua trajetória no mundo da tecnologia? Quais são os principais desafios?

Alina Vandenberghe  – Eu tinha um amor precoce pela matemática que se tornou um amor por novas tecnologias. Isso acabou se transformando em um objetivo de criar um aplicativo inédito e que melhorasse a vida das pessoas. Quando me mudei da Romênia para os EUA em 2008, trabalhei com a Iterating.net, uma agência internacional. Depois de enviar vários currículos, finalmente consegui um estágio na Thomson Reuters.

Alguns meses depois, meu gerente se aproximou de mim e de um colega com uma tarefa especial. O objetivo era desenvolver um aplicativo de notícias que seria um dos poucos exibidos durante o lançamento inaugural do iPad e exigia a assinatura de um acordo de confidencialidade. O acordo expirou assim que o produto foi anunciado publicamente. Ao construir o aplicativo, o feedback de Steve Jobs foi “manter a simplicidade”. Com isso em mente, criamos um aplicativo que colocou a experiência do usuário em foco.

Depois que terminamos o aplicativo, fui promovida de estagiária a gerente de produto mobile. Após a palestra de Jobs ao vivo anunciando o iPad em janeiro de 2010, fui promovida novamente a Diretora de Mobile. Alguns dias após o anúncio, saí do meu escritório da Thomson Reuters, na Times Square, e olhei para cima para ver um anúncio gigante do aplicativo em um outdoor. Eu estava completamente apavorada.

Ao longo da minha jornada, tive que enfrentar constantemente homens duvidando de mim por causa do meu gênero, como acontece com todas as mulheres em algum momento da vida. Mas, outro desafio que tive que enfrentar foi minha própria perspectiva da síndrome do impostor. Estou animada para usar a história de Chili Piper para mostrar que mulheres como eu são imparáveis.

Em 2016, com o conselho de Steve Jobs ainda em mente, cofundei a Chili Piper com meu esposo, Nicolas Vandenberghe. Chili Piper é uma plataforma de conversão de entrada que ajuda as empresas B2B a obter mais valor das perspectivas de vendas e aumentar sua receita. Estamos nos aproximando rapidamente de uma avaliação de mais de um bilhão com clientes como Airbnb, Facebook e Spotify.

Por que as mulheres contribuem mais para o sucesso das empresas? Qual é a sua opinião sobre isso?

As mulheres são estatisticamente melhores ouvintes, o que as torna melhores em vendas. Estatisticamente, as mulheres também possuem cotas mais altas na indústria. No entanto, não vou fazer esse argumento. Em vez disso, direi que é o equilíbrio e a diversidade que ajudam uma empresa a prosperar.

 

A mulher contribui mais em sua empresa, não porque seja superior aos homens, mas porque sua perspectiva está ausente em muitas empresas. A inclusão de mulheres, principalmente nos níveis gerenciais e executivos, permite que sua empresa tome decisões com base em um conjunto verdadeiramente diversificado de experiências e origens.

 

Na Chili Piper, temos pelo menos 50% de representação feminina em posições de liderança sênior e esse é um objetivo que gostaríamos de ver mais empresas de tecnologia. Somos capazes de construir uma cultura de trabalho mais inclusiva, e uma cultura de trabalho melhor leva a melhores resultados em todos os setores.

 

Quando você incentiva as mulheres a entrar nesse mercado, o que você ouve delas? Eles ainda enfrentam dificuldades?

Um dos feedbacks mais comuns que recebo de mulheres que entram no mercado é uma falsa sensação de síndrome do impostor. Muitos homens são inerentemente socializados para acreditar que o mundo é deles, enquanto as mulheres em vendas muitas vezes podem não ter um modelo feminino positivo em seu setor. Eu sempre digo às mulheres que tentam entrar nas vendas para encontrar um mentor. Uma vez que você percebe que outros trilharam o caminho antes de você e que você não está sozinho, fica mais fácil reconhecer seu valor e o imenso valor que você traz para uma organização.

 

Na sua empresa existe esse incentivo. Como funciona? E como você encontra os perfis certos?

O recrutamento de mulheres começa com a contratação de mulheres. E abordamos essa questão de várias maneiras. Aqui estão alguns passos que tomamos:

1. Construímos as marcas de nossas líderes mulheres nas mídias sociais, elas ministram palestras em eventos do setor e são ativos nas mídias sociais. Isso gera mais visibilidade.

2. Apoio às mulheres oferecendo recursos para que elas saibam sobre como gerenciar. Para conseguir isso, temos um coach profissional em tempo integral na equipe. Também usamos um aplicativo chamado “Progressão” para mapear as trajetórias de carreira de nossos funcionários e fazemos com que todos os gerentes construam um plano de crescimento de longo prazo com seus funcionários chamado “Plano Piper”. Para promover nossa cultura de aprendizado contínuo, cada funcionário também tem uma bolsa de desenvolvimento profissional de US$ 1.000, por ano, para desenvolver suas habilidades.

3. Apoiar comunidades e organizações que apoiam mulheres. A Chili Piper é um dos maiores financiadores de comunidades dirigidas por mulheres no mercado de vendas. Apoiamos organizações como Women in Sales, Women Sales Club, Sistas in Sales, Women in Revenue, SheSell, Women Sales Pros e muito mais. Essas comunidades atraíram centenas de candidatas qualificadas para nossa página. E nós contratamos muitas delas.

Mas não é só isso. É importante constantemente tentar coisas novas e experimentar. E, acima de tudo, garantir que sua empresa seja realmente um bom lugar para as mulheres trabalharem. Inclusive, o boca a boca, as indicações também têm sido uma ferramenta de recrutamento incrível para nós globalmente.

Para encorajar as próximas gerações, o que pode ser feito agora?

É importante acreditar em si mesmo. Pode ser difícil. Mas, se você olhar com atenção, descobrirá que mulheres incríveis já abriram o caminho para outras. Encontre um mentor e uma comunidade que irá apoiá-lo. E, se você vir algo que nunca foi feito e com o qual você se identifica, acredite que você pode ser a única a quebrar essas barreiras. Isso é o que eu fiz para mim e a forma como encorajei todas as mulheres incríveis ao meu redor a fazerem também.

 

Facebook
Twitter
LinkedIn

Você também vai gostar de: