Empreendedorismo: integração entre mercado, governo e universidade amplia desenvolvimento de startups

Ecossistema de inovação se beneficia de iniciativas conjuntas entre entidades e empresas – como acontece em Joinville, terceiro maior PIB do Sul e um emergente polo de tecnologia na região.

Maior polo industrial de Santa Catarina, e terceiro PIB da região Sul, Joinville vem despontando nos últimos anos pelo crescimento de algumas de suas startups – como ContaAzul, Transfeera, Asaas, Mercos, entre outras – e pela expansão de programas de desenvolvimento de novos empreendedores. Um exemplo desse momento do ecossistema local foi o lançamento, em janeiro deste ano, da incubadora Softville Ágora, que conta com a metodologia Miditec/Acate e apoio do Sebrae/SC, que recebeu em seu primeiro edital de seleção a inscrição de 47 startups de 13 cidades e 7 estados brasileiros. Um dos fatores que explica o interesse de empreendedores de várias regiões por Joinville é o modelo de conexão entre diversas entidades, mercado, governo e academia – que fortalecem e qualificam programas de capacitação.

“Em plena pandemia, receber um volume tão grande e qualificado de empreendedores interessados em se desenvolver no ecossistema de Joinville é um indicador de como essa conexão que estamos desenvolvendo se tornou referência para startups de várias regiões do país”, explica Jean Vogel, diretor executivo do Ágora Tech Park, parque tecnológico que sedia a incubadora e é responsável pela execução de programas como o NaSCer – iniciativa da Fapesc, com apoio do Sebrae/SC – em Joinville.

Em duas turmas, realizadas em menos de um ano, o programa NaSCer em Joinville selecionou 24 projetos e graduou 17 startups de uma rede que engloba pré-incubadoras em 15 cidades catarinenses. O projeto envolveu a dedicação de 21 mentores do Ágora Tech Park, com diversos profissionais renomados do mercado de inovação (de empreendedores e investidores a executivos). Na segunda turma, que iniciou em outubro passado, foi selecionado um time exclusivo de mentoras – ação inédita nos programas de desenvolvimento de startups no estado. Ao todo, foram 12 meses de capacitação, ao longo de 50 semanas, e mais de 300 horas de mentorias individualizadas.

O Ágora conta com um programa específico de apoio a novos empreendedores, o Ágora.Start, com foco na conexão entre empresas, estudantes, universidades e players do mercado de tecnologia e inovação, baseado em três pilares: cultura de inovação e empreendedorismo, colaboração e inteligência coletiva e gestão de negócios. 

“Desenvolver um projeto inovador vai muito além da ideia e do potencial da solução. Ao atuar como conector entre o ecossistema e os novos empreendedores, levamos mentorias de alto nível para que os projetos se desenvolvam de maneira sustentável. Como resultado, estamos ganhando visibilidade fora do estado como um polo formador de startups, em diversos níveis de maturidade”, resume o diretor. 

Facebook
Twitter
LinkedIn

Você também vai gostar de: