3 opções de investimentos rentáveis a partir de R$ 10,00

Entenda para quem são destinadas as “aplicações baratas” e como começar a investir nelas

Para aqueles que desejam começar a investir, é possível aplicar o dinheiro em opções a partir de R$10,00. O especialista da iHUB Investimentos, Gian Montebro, explica que o primeiro passo para ter acesso aos investimentos considerados “baratos”, é deixar de investir em produtos de instituições financeiras e procurar uma corretora, uma vez que os assessores de investimento têm acesso aos melhores investimentos com taxas menores.

Abaixo, Montebro lista três opções de investimentos a partir de R$ 10,00:

  1. Bolsa de valores: é possível comprar ações de qualquer quantia, pois a B3 dá a possibilidade de adquirir uma ação no mercado fracionário. Uma ação no valor de R$10,00, atualmente na bolsa de valores brasileira, no mercado cheio, custa R$1.000,00 para cada 100 ações – quantidade mínima exigida. Porém, toda e qualquer ação tem a opção do fracionário, entre 1 e 99 ações, justamente para atender os menores investidores. Desta forma, é possível comprar a mesma ação com R$ 10,00, comprando no fracionário de uma ação.
  2. Tesouro Direto: pode-se realizar um aporte a partir de R$ 30,00.
  3. Fundos de investimentos: com R$ 100,00 há opções de fundos de investimentos que sejam agressivos e de casas reconhecidas.

Para quem são destinados os investimentos “baratos” ?

Não há um público pré-definido que pode investir somente nessas opções, pois existem outros tipos de investimentos na faixa considerada “acessível” para diversos perfis, como:

  • Perfil conservador: Tesouro Direto ou Fundos de Renda Fixa
  • Perfil moderado: Fundos Multimercados
  • Perfil Agressivo: Ações

Quando o investidor quer começar a aplicar seu dinheiro, mas está no dilema de como dividir seu orçamento entre as contas mensais e os investimentos, algumas dicas podem ajudar para resolver essa situação, como procurar uma corretora e conversar com um assessor de investimentos, ele vai direcionar as melhores opções dentro do perfil do investidor e das suas expectativas.

Além disso, mesmo com um valor mínimo a ser aplicado, a estratégia adequada é a mesma, ou seja, diversificar a carteira de investimentos. Se a ideia é investir todo mês, ou com uma certa constância, a melhor opção é dividir as opções em diversos produtos, equilibrando a carteira como um todo.

Por último, ficar atento às taxas cobradas é essencial, pois no caso de comprar uma ação no fracionário, por exemplo, é importante saber qual o valor cobrado pela corretora, a chamada taxa de corretagem, além da B3, os emolumentos.

Para ilustrar a terceira dica, Montebro explica que quando uma determinada ação custa R$ 10,00 na B3, com R$ 100,00 é possível comprar 10 unidades desse papel no mercado fracionário.

Caso a corretora cobre R$10,00 de corretagem – lembrando que esse valor pode variar de empresa para empresa, e a bolsa de valores brasileira cobra R$ 10,00 de emolumentos, ao invés de ter 10 ações, o investidor terá somente oito. Pois, R$ 20,00 foram gastos em custos operacionais, a cada R$ 1,00 que o papel valorizar, o investidor ganha R$ 8,00. Logo, para que o ganho possa valer a pena, é preciso ter esses custos muito bem calculados e claros para começar a investir.

Sobre Gian Montebro 

Gian Montebro, é assessor de investimentos na iHUB Investimentos, empresa especializada em assessoria de investimentos, com mesa de operação atuante em ações, derivativos e câmbio em tempo real. Possui mais de 20 anos de experiência no mercado financeiro, já atuou como Day Trader por sete anos.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também vai gostar de: