A inovação só ocorre com informação e planejamento

Fernanda Nascimento 17/08/2020
Fernanda Nascimento 17/08/2020

Estamos no momento de uma retomada econômica global tímida em função dos perigos da pandemia da Covid-19. Diante disso, muitas empresas ainda precisam acelerar o posicionamento no jogo dos negócios, tendo como questões a revisão de seus comportamentos empresariais e visão no relacionamento com os clientes.

Hoje, o mercado exige uma mudança nas tradicionais estratégias comerciais, focada em um modelo de negociações mais humanizadas. E, como auxílio, a comunicação digital é um dos pilares para a implementação dessa ação, que visa apoiar a retomada dos negócios de maneira eficiente.

A pandemia comprovou que os clientes já são digitais e que muitas empresas ainda não chegaram lá. Para quem não entendeu a real situação, é preciso rever a maneira de interação online nos negócios e criar um padrão de tratamento que esteja de acordo com as reais necessidades dos consumidores. As organizações não serão mais avaliadas pelos seus resultados, mas sim pela maneira como contribuirão para a sociedade.

Um estudo realizado pela McKinsey, “Winning the Recovey”, indica que o consumo brasileiro online aumentou 40% durante a pandemia. Já 40% dos entrevistados afirmaram que pretendem fazer mais compras pela internet quando acabar a quarentena e 35% pretendem fazer menos visitas às lojas físicas no pós-Covid-19.

Processos
Implementar uma estratégia de comunicação eficaz não é tão simples. São necessárias decisões integradas para que a empresa atinja os objetivos esperados, bem como os meios de implementação do projeto para concretizar e conquistar o sucesso.

Também é importante frisar que o desenvolvimento da comunicação digital só servirá caso esteja focado unicamente nas necessidades dos clientes. As referências de demanda são outras e exigem mais visibilidade, agilidade, produtividade e uma conectividade personalizada com o consumidor. O seu produto só será importante se a sua empresa valorizar o que o cliente precisa ou quer.

Nesse cenário, é preciso estar ciente de que o mal planejamento na implementação das estratégias de comunicação digital pode tornar as boas expectativas em sérios problemas para a corporação. Para impedir um possível desastre, as empresas precisam adotar a mentalidade constante de uma startup, buscando centrar o foco no humano, ser ágil, utilizar a tecnologia como apoio e ter adaptabilidade aos diferentes desafios que possam surgir.

Nas tomadas de decisão relacionadas ao marketing, por exemplo, as organizações precisam voltar alguns passos para entender e desenvolver estratégias corretas. Durante o processo de conhecimento dos clientes, a empresa adquiri informações por meio de ferramentas tecnológicas e para esses dados possibilitarem o desenvolvimento de um plano comercial mais assertivo, é necessária a interação entre o conhecimento humano e o que foi coletado pelas soluções de TI.

Em um mundo perfeito, a recuperação nos negócios está relacionada com a cultura das empresas, que devem ter em sua estrutura os conceitos de resiliência, lucratividade e sustentabilidade. O uso da tecnologia tem um papel fundamental para esses pilares, porque oferecem ferramentas que contribuem para a gestão, aquisição e análise de dados, utilizados para o desenvolvimento das estratégias.

Outro ponto importante é que precisamos unificar os departamentos para trabalhar de forma mais colaborativa, com o objetivo de dar mais ênfase nos processos e na tomada de decisão. Um exemplo prático aconteceu durante a pandemia, em que algumas organizações criaram comitês de gestão para debater os melhores procedimentos a serem tomados. Esse modelo promove, entre tantos benefícios, mais agilidade e eficácia no cotidiano corporativo.

Ainda existem alguns obstáculos para a implementação das estratégias de comunicação digital nas empresas. O excesso de trabalho operacional diário dos gestores é um exemplo que impede o desenvolvimento de inovações. O cotidiano leva o foco desses profissionais para a produtividade e não para as estratégias inovadoras, dificultando a elaboração de projetos que otimizem os resultados.

Por isso, para participar dos novos conceitos mundiais de gerenciamento, as empresas precisam entender que a inovação só trará bons resultados com informação, planejamento e estratégias que visem longevidade e sucesso para os negócios.

Sobre Fernanda Nascimento
Sócia-fundadora da Stratlab, especialista em CX (Customer Experience) e ‘customer centric’, Fernanda atua com foco no estudo e no desenvolvimento de estratégias de marketing digital para empresas B2B. Tem 25 anos de experiência no mercado e passagem por grandes multinacionais, possui Master’s Degree em Marketing pelo Chartered Institute of Marketing. É professora convidada da Digital House, Lemonade School e ESPM, onde ministra cursos de Marketing Digital aplicado às áreas de Marketing, Vendas e Recursos Humanos.

Sobre a Stratlab
Com quatro anos de atuação, a Stratlab integra equipes multidisciplinares e ferramentas avançadas, com o objetivo de contribuir para o crescimento e desenvolvimento dos negócios por meio do ambiente digital. Nos últimos três anos, já implementou estratégias para mais de 50 empresas, envolvendo mais de 1.300 profissionais.

 

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.