Ateliê de software é destaque em ranking que avalia as melhores desenvolvedoras da América Latina

Fabrício Umpierres Rodrigues 09/09/2019
Fabrício Umpierres Rodrigues 09/09/2019

Plathanus, com sede na Grande Florianópolis, ficou em terceiro lugar entre as companhias brasileiras, segundo o Top B2B Companies da Clutch, referência na avaliação internacional de software houses

O ateliê de software Plathanus, com sede em Palhoça, na Grande Florianópolis, foi selecionado pela Clutch, plataforma global de avaliação de desenvolvedores de sistemas e apps, como uma das melhores da América Latina em seu relatório anual sobre as principais empresas B2B no continente.

O ranking inclui companhias da Argentina (55), Brasil (36), México (38) e Uruguai (45), que desenvolvem aplicativos mobile, web e design UX. A Plathanus obteve a 16a. colocação geral na avaliação dos usuários da plataforma e ficou em 26o. lugar segundo a avaliação da própria Clutch. Entre as 36 empresas brasileiras que desenvolvem apps e softwares para o mercado corporativo, a catarinense ficou em terceiro lugar, atrás apenas de grandes empresas como a Arc Touch e a Cheesecake Labs.

A empresa nasceu como uma consultoria de serviços em 2014, mas conta com a divisão de ateliê de software há menos de um ano, diz o CEO Pascoal Vernieri. “Pelo nosso tempo de atuação com essa vertical é uma conquista que nos surpreendeu. Por outro lado, reforça nossa proposta de serviços, baseada não em receber um projeto com horas estimadas e especificações, mas construindo isso em conjunto com o cliente, de maneira imersiva,  colaborativa e transparente entregando produtos digitais com alta qualidade”, explica.

Segundo ele, o reconhecimento por parte da plataforma – e dos clientes que avaliaram os serviços – “dá a segurança para avançarmos para a Europa e América do Norte. Nosso próximo passo é fortalecermos os canais comerciais nestes dois continentes”.

Desafio: entender nível de complexidade dos projetos para evitar atrasos e aumento de custos

Nos últimos anos, comenta Pascoal, “meu principal desafio tem sido o de entender a melhor maneira para desenvolver sistemas que não apenas fossem eficazes às contratantes, mas que principalmente não gerassem todo esse processo traumático de atrasos, entregas que não correspondem ao escopo e estouro no orçamento. Por isso a importância de fazer uma imersão para entender os objetivos, dores, necessidades e complexidades que aquele sistema pode resolver para o cliente, fazendo com que ambas as equipes estejam alinhadas”, detalha Pascoal.

No modelo proposto pelo ateliê, a equipe de desenvolvimento externo atua em conjunto com o time da empresa contratante, definindo entregas, que são revisadas e aprovadas a tempo de qualquer alteração – e não apenas na entrega final do projeto. Nossa entrega segue um fluxo contínuo o que possibilita o cliente receber funcionalidades praticamente todos os dias da semana”. A questão é você entender o nível de complexidade de cada momento do projeto e dar segurança e informações à empresa ao longo do processo de desenvolvimento por meio de um Gerente de Projeto experiente e apto”, conclui o CEO.

A Plathanus já desenvolveu projetos para empresas de software em áreas como educação, financeira e saúde e espera fechar 2019 com uma equipe de 12 colaboradores. Em 2019, foi uma das apoiadoras do Startup Weekend Palhoça e do Congresso Catarinense de Recursos Humanos (Concarh).

“As empresas B2B da América Latina demonstram um forte compromisso com a criação de produtos de alta qualidade e com um serviço atencioso ao cliente”, disse o analista sênior de negócios da Clutch, Ricardo Real.