BossaBox aposta em squads-as-a-service e agiliza inovação dentro de grandes empresas

A BossaBox, primeira empresa a operar por squads-as-a-service no Brasil, tem se tornado cada vez mais essencial, já que, em média, 70% dos processos de transformação digital nas empresas falham e ainda apresentam um gap de 67% na contratação dos talentos necessários para iniciar essa transformação. Fundada em 2017, por André Abreu, Eduardo Koller, Giovanni Salvador e João Zanocelo, a startup monta squads de profissionais freelancers de diversos cargos – como desenvolvedores(as), gerentes e designers de produto, entre outros – para desenvolver produtos digitais e promover a inovação dentro de grandes companhias de maneira ágil e qualificada.

Com mais de 12 mil profissionais cadastrados e cerca de 90 projetos desenvolvidos em todo o país, a startup tem ganhado destaque e chamado a atenção de investidores por seu trabalho inovador. Em outubro do ano passado, a BossaBox levantou R$ 8 milhões em uma rodada liderada pela Astella Investimentos, acompanhada pela Redpoint eventures e MIT Angels.

A plataforma conta ainda com agilidade, excelência, segurança e praticidade para montar em 5 dias o time que contribuirá em grandes projetos de inovação, além de absorver toda a responsabilidade pelo desenvolvimento das soluções adequadas a cada cliente. “Por meio de times qualificados e estratégias flexíveis, oferecemos aos nossos clientes uma entrega real e efetiva do produto esperado, por um preço justo. Acreditamos que não há barreiras geográficas para atrair os melhores profissionais”, afirma André Abreu, CEO da BossaBox.

Por meio desse modelo, a empresa já desenvolveu soluções para empresas como Grupo Sada, Gerdau, Unimed, entre outras. “As organizações apostam na expertise e agilidade dos nossos profissionais para acelerar a inovação dentro de estruturas mais tradicionais e alocar suas próprias equipes de tecnologia em projetos internos voltados para a estrutura de TI da companhia”, ressalta o empreendedor.

Depois de enfrentarem um processo seletivo digitalizado com testes e desafios práticos  criado pela startup, os prolancers, como são chamados os profissionais freelancers cadastrados na plataforma, se envolvem em projetos inovadores que estão alinhados aos seus objetivos profissionais, fazem networking em uma comunidade exclusiva, se desenvolvem, vivenciam a cultura de Produto trabalhando com as melhores metodologias do mercado e ainda podem ganhar até R$ 25 mil por mês. “Toda a atuação da BossaBox é remota, incluindo nosso processo seletivo e onboarding. Com isso, quebramos barreiras geográficas e proporcionamos oportunidades acessíveis a profissionais de todo o Brasil”, destaca André Abreu.

Além de ampliar o acesso a oportunidades profissionais, que antes só estavam disponíveis nos grandes centros urbanos, a BossaBox é ativa em outras iniciativas de Diversidade e Inclusão, como a capacitação de mulheres em tecnologia da Reprograma, projeto para o qual a empresa doou toda a receita de seu evento Product Masterclass.

Como funciona

 Após o cadastro inicial, o usuário irá realizar testes e desafios práticos para que a empresa entenda suas habilidades e competências dentro da área em que atua. Por fim, caso o perfil do candidato se adeque a algum projeto, a BossaBox envia para o profissional a proposta para participar de um de seus squads.

A BossaBox entende exatamente em que etapa da transformação digital a companhia está e quais são suas principais necessidades nessa jornada para desenhar uma estratégia assertiva, alocando os(as) melhores profissionais para implementar  o projeto.

Sobre a BossaBox

Fundada em 2017, a BossaBox uma startup referência em squads-as-a-service no Brasil. Por meio desse modelo inovador, a empresa monta e fornece equipes de tecnologia – os chamados “squads” – sob demanda e de forma ágil para empresas que precisam desenvolver produtos digitais e acelerar seu processo de transformação digital. A startup levantou R$ 1.4 milhão em rodada pre-seed promovida em 2019 e, em 2020, recebeu mais R$ 8 milhões em rodada composta pelos fundos Astella Investimentos, Redpoint eventures e MIT Angels. Com mais de 12 mil profissionais altamente capacitados cadastrados, a empresa já ofereceu soluções para diversas companhias incluindo marcas como Gerdau, Grupo Sada e Unimed. Por meio do trabalho remoto, a BossaBox encontrou um meio de promover a diversidade e inclusão de prolancers de todo o Brasil na área de tecnologia, garantindo acesso a uma fonte de renda estável independentemente da cidade ou estado em que atuam.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também vai gostar de: