Brasil e Alemanha cooperam por novas tecnologias em prol da saúde bucal mundial

A periodontite é um problema de saúde global e afeta mais de 50% da população adulta em todo o mundo, acarretando outros males como problemas cardíacos e pulmonares. Em abril, pesquisadores e empresas da Alemanha e do Brasil apresentam e discutem, na UEM, novos produtos naturais para prevenir este mal

Redação 16/03/2019
Redação 16/03/2019

A periodontite, um estágio evoluído da gengivite e popularmente conhecida como piorreia ou doença gengival, trata-se de uma infecção oral bacteriana que afeta o periodonto (tecidos de suportes dos dentes), danificando as gengivas e podendo, ainda, destruir o osso maxilar e levar a perda dos dentes. Além disso, é um fator de risco para problemas cardíacos e pulmonares.

Predisposição genética, diabetes e tabagismo são fatores que podem determinar a progressão e a gravidade do quadro, que geralmente é causado por má higiene oral. Essa patologia, apesar de bem frequente em todas as idades, afeta com maior ênfase a fase adulta e, segundos dados recentes da World Dental Federation (FDI), a doença já atinge mais de 50% da população mundial adulta. Apesar de trazer danos irreversíveis à saúde, a periodontite pode ser evitada.  Pesquisadores e empresas da Alemanha e do Brasil buscam em produtos naturais novas soluções para profilaxia, já que atualmente o tratamento da periodontite com produtos específicos é limitado e a pesquisa e desenvolvimento de novas substâncias é rara.

É com esse propósito que acontece de 2 a 4 de abril, em Maringá (PR), o workshop internacional “Doença periodontal: novas estratégias utilizando produtos naturais como profilaxia”.  O evento, que contará com palestrantes dos dois países, é organizado pela Universidade de Münster (WWU Münster) e pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), com a parceria do Centro Alemão de Ciência e Inovação São Paulo (DWIH São Paulo).

Este workshop surge, portanto, como plataforma de discussão sobre os problemas relevantes associados à periodontite sob perspectivas científica, clínica e econômica. Com o intuito de conectar especialistas químicos em produtos naturais, dentistas, farmacêuticos, médicos e o meio industrial, além de estudantes da área, a ideia é discutir estratégias Brasil-Alemanha em pesquisa e desenvolvimento, projetos e novas soluções contra esse mal que impacta o sistema de saúde. Como consequência, o encontro possibilitará à indústria o desenvolvimento de novos produtos de maneira direta, com uma cooperação próxima da academia.

Para o professor do Departamento de Farmácia da Universidade de Münster, Andreas Hensel, a saúde bucal é determinante para a saúde geral da população. Além disso, ele acredita que inovações na área, por meio das expertises Brasil-Alemanha, alinhadas ao melhor conhecimento da doença são cruciais para que o problema seja melhor controlado. “A barreira social, juntamente com a falta de conhecimento, torna essa doença um mal que desencadeia outros problemas tanto no quesito saúde quanto social.  Brasil e Alemanha possuem uma importante tradição na utilização de produtos naturais à base de plantas fitoterápicas. De um lado, temos o Brasil com um relevante potencial em biodiversidade e forte pesquisa no uso de produtos naturais. Já do lado da Alemanha, temos a técnica alemã, alinhada à aplicação industrial de medicamentos com base em plantas medicinais. Essa parceria bilateral com esforços no meio acadêmico, industrial, clínico e em pesquisa e desenvolvimento tende a trazer importantes resultados em lançamentos de produtos para conseguirmos lidar melhor com essa doença”, complementa Hensel.

Dividido em três dias, o evento contará no primeiro (2 de abril) com a abertura de um simpósio científico. Na ocasião, os assuntos em debate por professores e pesquisadores da Alemanha e do Brasil serão os aspectos econômicos da doença, assim como as ações a serem realizadas na próxima década, a variedade das plantas brasileiras em prol da inovação tecnológica e a visão da indústria alemã sobre o assunto.

Para o segundo dia (3 de abril) está reservada uma oficina de ideias para estudantes (limite de 40 participantes), que será conduzida pelo professor Wilhelm Bauhus, da Universidade de Münster. Intitulado “Workshop Criativo e Idea Mining”, o encontro destina-se a alunos de mestrado e doutorado das áreas de farmácia, biotecnologia, microbiologia, biologia, odontologia, economia e design, e focará no desenvolvimento de estratégias para produtos inovadores de higiene bucal e comercialização de produtos à base de plantas para periodontite.
No terceiro e último dia (4 de abril), acontecerá um workshop que focará em temáticas como planejamento e financiamento de projetos, estratégias de desenvolvimento e organização de pesquisa (entre 20 e 30 participantes).
As inscrições, que são gratuitas, podem ser feitas até o dia 20 de março de 2019 através do e-mail periodontitis2019@uni-muenster.de

Serviço: 

Workshop “Doença periodontal: novas estratégias utilizando produtos naturais como profilaxia”

Data: 2 a 4 de abril de 2019

Local: Universidade Estadual de Maringá (UEM) – Av. Colombo, 5790 – Zona 7, Maringá (PR)

Inscrições gratuitas até 20 de março de 2019periodontitis2019@uni-muenster.de

Programação aqui!

 

Sobre o Centro Alemão de Ciência e Inovação São Paulo 

O Centro Alemão de Ciência e Inovação São Paulo (DWIH São Paulo) foi criado em 2009 pelo Ministério das Relações Externas da Alemanha, como parte da política de internacionalização da ciência e pesquisa alemã. O objetivo é aumentar a visibilidade no Brasil da Alemanha como polo científico, tecnológico e de inovação e favorecer a sinergia e o intercâmbio entre as instituições científicas e pesquisadores alemães e brasileiros, bem como destes com empresas. Mais informações: www.dwih.com.br

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.