Consciência ecológica me ajuda a faturar e preservar

Alexandre da Cruz Ramos 09/02/2019
Alexandre da Cruz Ramos 09/02/2019

Levava uma vida muito corrida. Hoje, consigo fazer os meus próprios horários com mais flexibilidade e ainda posso curtir de perto o crescimento dos meus filhos e ficar mais junto à família”, revela o empreendedor que visualizou na rede Acquazero (especializada em lavagem ecológica automotiva) a oportunidade de ter o próprio negócio e com qualidade de vida que há anos almejava. Ele abriu há pouco mais de um ano a unidade através da modalidade home office, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Visualizei a potência do negócio no próprio condomínio que eu moro. Meus vizinhos foram os primeiros clientes, a partir disso o negócio deslanchou em pouco tempo.

Acertei as contas no antigo trabalho e pedi demissão. O dinheiro da rescisão foi a porta de entrada para ter o negócio próprio que custou R$10 mil. Juntei a paixão por carros mais a pegada sustentável da rede, que trabalha sob a premissa de promover a limpeza de um veículo usando apenas 300 ml de água. E a possibilidade existe graças aos produtos de apoio que também aderem à política sustentável: todos são biodegradáveis. Hoje toda família tem pelo menos um carro e na correria do dia a dia eles procuram por empresas especializadas para manter o veículo limpo. Cada vez mais as pessoas estão se conscientizando sobre a importância do não desperdício de água, já que várias regiões do país enfrentam esse problema diariamente. E nisso entra meu negócio, em propor limpeza com pouquíssimo uso de água.

Já conquistei cerca de 100 clientes mensais e faturamento médio de R$ 7 mil/mês. No entanto, busco ganhar ainda mais. O foco é alcançar R$ 12 mil (mensal) atendendo somente clientes físicos. Acredito que assim que começarmos atender também jurídico esse número possa alcançar pelo menos R$ 20 mil, para isso estamos trabalhando duro para atingir a meta e buscando parcerias em concessionárias.

Hoje o número de serviços aumentou em comparação com o antigo trabalho, porém meu horário de trabalho diminuiu. Durante a semana atendo das 9h às 17h e aos sábados, dias em que a procura é bem acentuada, o atendimento ocorre entre às 8h às 17h, conforme a demanda. Essa flexibilidade de horário possibilita buscar as crianças na escola, além de resolver outros assuntos pessoais que até então não eu conseguia exercer. O negócio trouxe realização pessoal e um novo estilo de vida”, afirma o empreendedor.

Ser dono de negócio próprio requer muita disciplina, algo que como a maioria dos investidores em início de operação sentem certa dificuldade e insegurança. Nunca trabalhei no segmento automotivo, porém tinha muita experiência em vendas e como lidar com os clientes. Contudo, a minha maior dificuldade foi em lidar com os colaboradores. É diferente quando estamos do outro lado. As habilidades para fazer o negócio realmente andar é falar a linguagem de seus colaboradores, além de saber fazer todos os serviços que você está vendendo para quando um funcionário faltar ou a procura for muito alta você também possa colocar a mão na massa mostrando assim que somos uma equipe e que precisamos um do outro.

De acordo com a ONU (Organização das Nações Unidas), cada pessoa consome, em média, 110 litros de água por dia, para beber e suprir as necessidades pessoais e limpeza de roupa. Uma lavagem de carro, por exemplo, gasta em média 300 litros de água.

Não nos preocupamos somente com o hoje, mas também com o futuro da sociedade. Por isso, criar uma empresa que ofereça soluções sustentáveis é essencial para os dias que vivemos, independente do segmento de atuação”, avalia Henrique Mol, diretor executivo da marca Acquazero, a rede já soma 240 unidades distribuídas em diversas localidades do país.

Segundo pesquisa divulgada pelo Sebrae, em 2017 a participação de pessoas entre 18 a 34 anos cresceu de 50% para 57% no total de empreendedores em fase inicial, ou seja, são 15,7 milhões de jovens em busca de abrir um negócio próprio ou com uma empresa em atividade no período de até 3 anos e meio.

Entre os clientes assíduos da Acquazero, jovens de até 30 anos disparam na frente. Eles representam um total de 80% dos clientes. Cada vez mais preocupados com o mundo que vivem, esse público tem o senso crítico profundo sobre as noções de consumo, e criam laços de lealdade com empresas que vão de encontro com os ideais, como é o caso da sustentabilidade.