Educação no Brasil aponta potencialidades para as EdTech’s

Luiz Alberto Ferla 15/05/2019
Luiz Alberto Ferla 15/05/2019

A educação digital é a saída para acelerar o atraso do Brasil tanto no ensino formal quanto profissional. A recomendação é do relatório Brazilian Digital, organizado e divulgado pela consultoria McKinsey. O estudo mostra que plataformas tecnológicas podem ajudar, principalmente, a ganhar escala dentro e fora das salas de aula, expondo um grande mercado para as empresas de EdTech – Education Technology. O ensino a distância, por exemplo, já representa 25% das matrículas no ensino superior e têm espaço para continuar crescendo fortemente.

“Com certeza há um espaço gigante para o setor de educação tecnológica evoluir no Brasil. Mas para que isso ocorra de forma mais contundente é preciso que o valor da inovação seja percebido como um acelerador para sanar nossas deficiências educacionais”, afirma Luiz Alberto Ferla, CEO e fundador do DOT digital group, referência em EdTech no Brasil. A empresa foi citada no relatório como umas das EdTech’s brasileiras que vêm aproveitando as potencialidades deste mercado. O grupo desenvolve tanto plataformas customizadas de treinamento corporativo quanto soluções digitais para instituições e universidades.

O relatório da McKinsey mostra que menos de 40% da população brasileira tem ensino médio completo. Os gastos com educação ajudam a explicar a situação. O Brasil investe 4,92% do seu PIB na área, menos que a Argentina (5,62%) e o Chile (5,48%). A qualidade da nossa educação também está entre as piores do mundo. O último ranking do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (PISA), de 2015, mostra o Brasil na 63ª posição numa lista de 70 países.

Não é à toa que o setor de EdTech’s é um dos mais promissores. Mapeamento feito pela Associação Brasileira de Startups (ABStartups) mostra que existem mais de 350 startups de educação no Brasil. Quase metade está localizada em São Paulo, mas 73% dos estados brasileiros têm pelo menos três EdTechs. “A tecnologia é um grande aliado da educação. Ela permite a produção de conteúdo em diferentes formatos como vídeo, e-books, game, quiz, infográficos etc. Mas sua maior virtude é fazer o conhecimento chegar a um número significativo de pessoas em qualquer canto do país”, destaca Ferla.