Empresas precisam saber lidar com as redes sociais

Estima-se que no atual contexto do Brasil, no meio digital, mais de 70 milhões de internautas estejam no Facebook (dados do próprio site). Quem acompanha a rede social consegue ver diariamente status de amigos, notícias, jogos e novidades, além das famosas “selfies”. De um modo geral, não só o Facebook, mas outras redes sociais caíram no gosto popular. Isso fez com que as empresas enxergassem nestas plataformas uma nova maneira de divulgar seus produtos e serviços, saber o que o público realmente pensa e estreitar a relação com o consumidor.

Para o sócio diretor da RnW Marketing Digital, empresa especializada no assunto que atua em Ribeirão Preto, Luiz Felipe Campos Gomes, as redes sociais proporcionaram uma nova forma de interação entre as empresas e os clientes. Segundo ele, hoje em dia, o primeiro lugar onde as pessoas procuram informações sobre produtos e serviços é na internet, através de websites ou nas próprias redes sociais.

No entanto, a diferença para esta última está no acesso aos dados estatísticos e Ibope, oferecidos pelas próprias redes, que mostram o que mais chamam a atenção e o que mais desagrada os internautas sobre as empresas. “Se você quer lançar um produto, pode conseguir um feedback assertivo nas redes sociais, por meio de ferramentas que monitoram seu público-alvo na internet e até mesmo pelos dados de engajamento que são oferecidos pelas próprias redes”, explica Luiz Felipe.

“Dá para saber o que as pessoas comentam sobre seu produto e o que mais desagrada. Sem essas ferramentas, as reclamações e sugestões ficariam dispersas e as empresas perderiam a oportunidade de reverter a insatisfação do consumidor em satisfação”, alerta.

No entanto, apenas fazer parte de alguma rede social não adianta. De acordo com o sócio diretor, quem está na chuva precisa se molhar. É preciso ter conteúdo para postar e estar preparado para atender bem os consumidores nas redes sociais. “Um péssimo atendimento pode acarretar em mais reclamações e manifestações, fazendo com que a marca da empresa seja muito prejudicada”, informa.

Gomes orienta ainda que é primordial ter um planejamento de marketing com objetivo, metas e planos de atualização da página. Segundo ele, o ideal é uma média de duas a cinco publicações por dia. “Claro que esse número depende do tipo de serviço e do público alvo a ser investido”, complementa.

Investir faz a diferença

As empresas que saem na frente nas redes sociais são as que não têm medo de abrir a mão na hora de investir em publicações patrocinadas.  Os valores variam de acordo com cada negócio e não é preciso muito para fazer um bom investimento. “O lado bom das mídias sociais, quando o assunto é investimento,o é que elas dão a possibilidade de você gastar o quanto pode. No Facebook, por exemplo, há um mecanismo que restringe o que as pessoas vão ver das empresas na timeline. Se as empresas não fazem publicações pagas é preciso pelo menos publicar conteúdo na hora certa para atingir o maior número de pessoas possível. Quando o post é patrocinado, não necessariamente isso precisa acontecer”, orienta.

Facebook
Twitter
LinkedIn

Você também vai gostar de: