Escola profissionalizante cria franquia para microempreendedores

A On Byte Formação Profissional lança o modelo ideal para quem deseja começar um novo negócio. Com baixo investimento e a possibilidade de gerar emprego e renda para a família, a marca inova mais uma vez no mercado e traz a On Byte Personal.

Formatada para oferecer os cursos profissionalizantes, a rede possui perfil abrangente de franqueados e demanda investimento inicial de apenas R$ 5 mil, um dos mais baixos do franchising brasileiro. Além disso, o franqueado não terá despesas de operação, apenas royalties da metodologia de ensino On Byte – com apenas quatro alunos, o professor paga este custo.

A novidade neste modelo de franchising é que o retorno do investimento é praticamente imediato, já que a franqueadora dará diversos incentivos para quem começar. O franqueado que conseguir 30 alunos, por exemplo, terá uma rentabilidade média de R$ 3,5 mil. Para incentivar ainda mais a estabilização do empreendedor, a On Byte vai isentar o primeiro mês da operação de taxas. No segundo mês, o franqueado pagará apenas metade do valor dos royalties. No terceiro, 80%. Somente após quatro meses de operação ele passará a pagar o valor integral de royalties – única despesa fixa do negócio.

Uma das principais vantagens da metodologia é a flexibilidade. As aulas são interativas e a marca investe no desenvolvimento de cursos de acordo com a demanda da população. Exemplos de sucesso do método são os cursos na área de tecnologia, como Desenvolvedor de Jogos e Profissional Digital, áreas que precisam de atualização constante.

O campo de atuação do professor com a metodologia On Byte é abrangente, já que as aulas são autoexplicativas e, caso precise de auxílio quando estiver trabalhando os conteúdos, uma equipe de professores online poderá ajudá-lo. “O franqueado não precisa se preocupar em relação aos cursos, porque daremos todo o treinamento e suporte para que ele possa ministrar os mais de 70 cursos da grade”, destaca o diretor-presidente da On Byte, Daniel Bichiatto.

Modelo

A ideia de desenvolver a On Byte Personal surgiu a partir da percepção de que é possível iniciar um negócio como microempreendedor individual, o que reduz o custo de operação e facilita a gestão do próprio negócio. Em um mercado ainda mais competitivo, um curso de qualificação pode ser o diferencial no currículo para mudar a trajetória profissional.

“O franqueado não terá custo com locação, despesas com imóveis ou mobiliário, ele apenas vai adquirir nosso método de ensino. É um modelo que se adequa bem para famílias que precisam empreender”, aponta o diretor-presidente da On Byte. Marido e mulher, por exemplo, podem dar aulas particulares. Até mesmo um casal com um filho em idade produtiva pode adquirir uma On Byte Personal e ampliar a possibilidade de ganho.

Mercado

O modelo On Byte Personal se enquadra na lei do microempreendedor individual. Ou seja, dá para se formalizar, ter um CNPJ. Para conseguir entrar na regra, tem que faturar até 60 mil reais no ano, não ser sócio de outra empresa e ter, no máximo, um funcionário. Só em 2015, quase 500 mil pessoas viraram microemprededoras individuais e passaram a ter direito aos benefícios da previdência, como auxílios-maternidade, auxílio doença e aposentadoria.

Entre as possibilidades do mercado para aulas particulares, Bichiatto aponta alguns nichos que possuem alta demanda. “As aulas de reforço escolar para crianças, por exemplo, é uma área com alta procura. Outro nicho a ser explorado é a melhor idade, que prefere uma aula particular do que ir até uma escola ou fazer um curso online”, avalia.

Para o diretor-presidente da On Byte, o formato personal permite que o franqueado leve o método de ensino à casa do aluno. “O próprio franqueado vai delimitar sua rentabilidade, já que poderá dar aulas particulares a quantos alunos quiser”, afirma. “Além disso, o professor particular com uma metodologia tão inovadora tem um mercado repleto de oportunidades e onde a concorrência é baixa”, completa.

Idiomas

Pesquisa da eCGlobal Solutions e da eCMetrics realizada em junho deste ano demonstrou que quase 8 em cada 10 entrevistados não estão fazendo um curso de idiomas atualmente – assim, observa-se boa oportunidade no mercado para os cursos de idiomas em geral. Entre aqueles que estão fazendo um curso de idiomas atualmente, as aulas presenciais têm a maior participação, no entanto, cursos online têm uma boa representatividade – 4 em cada 10 entrevistados que estudam idiomas estão fazendo este tipo de capacitação.

On Byte

A rede On Byte Formação Profissional entrou para o mundo do franchising em 2010, em Taquaritinga/SP, com a oferta de mais de 70 cursos profissionalizantes. No comando da rede estão os empresários Daniel Bichiatto e Henrique Barros, que possuem 20 anos de know-how no setor de educação. O modelo de negócio é acessível e prático.

A credibilidade no mercado se consolida por ser uma das redes de educação mais premiadas do país, conquistando o Selo de Excelência em Franchising, da Associação Brasileira de Franchising (ABF), 2012, 2013 e 2014. Além de premiações, como A Melhor Franquia do Brasil, da Editora Globo, como melhor franquia emergente, em 2012, e melhor microfranquia, em 2014.

A On Byte também é uma das 50 empresas brasileiras escolhidas para fazer parte do seleto grupo que integra o programa PlugMe.co: conectando empreendedores, promovido pela Endeavor – maior organização mundial de fomento ao empreendedorismo – e pela SAP Expoentes.

Em 2015, a rede conquistou o prêmio Top 25 do Franchising Nacional, ranking elaborado pelo Grupo Bittencourt que elegeu as melhores franquias do país no quesito engajamento. Este é o segundo ano consecutivo que a marca conquista a premiação.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

1 comentário em “Escola profissionalizante cria franquia para microempreendedores”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também vai gostar de: