Franquia de steakhouse é investimento aquecido pela pandemia

Mesmo com um cenário de adequação de perspectivas e muitas adaptações, as franquias no segmento de alimentação se mantiveram de pé. Durante o isolamento, lanches foi um dos pratos mais pedidos pelo Delivery, junto às pizzas, aponta pesquisa realizada pelo Kantar Ibope Media.

No período mais crítico da crise e com retração de números, o interesse no segmento de alimentação se intensificou, por isso Wladimir Schultz resolveu colocar sua Steakhouse, Schultz, em expansão. Para dar oportunidade para outras pessoas que querem ter seu próprio negócio. “Afinal, em um momento que é preciso se reinventar e agir de forma rápida, nada mais seguro que ser o dono do seu próprio negócio, contando com todo apoio que uma franqueadora oferece”, disse.

Para o empresário, a crise também teve um lado positivo. Com as pessoas querendo abrir o próprio negócio, para investimento ou geração de renda, o setor de franquias teve alta significativa, por isso resolveu investir nele.

“A Schultz Steak House andou na contramão da crise e está funcionando muito bem em comparação a outras lojas, sem contar os muitos estabelecimentos que tiveram que fechar suas portas. “Estou vendendo muito em vista do fluxo de pessoas que o shopping está tendo. Estou me reinventando e está dando tudo certo”.

Wladimir afirma que quando se tem um produto bom, que atende de maneira universal todos os gostos e é algo que deu certo em um lugar e as pessoas pedem em outros lugares, a ideia tem que ser passada para frente. “Fiz uma pesquisa de campo e encontrei a holding de franquias Atnzo com uma excelente referência, comandada por Lucas Atanazio, que é um estrategista bem sagaz e pensei que não poderia ficar apenas no meu quintal e resolvi expandir. Franquear é algo que não tem segredo, basta ter um produto bom e seguir o protocolo que o resultado sai”.

Sobre a Schultz

A Schultz Steak House se idealizou em janeiro de 2000 por Wladimir Shultz e se tornou franquia com o grande intuito de “servir bem para servir sempre”.

Culinária sempre esteve no sangue da família. Desde a primeira grande guerra, a Schultz já trabalhava com gastronomia na Europa. Quando eles vieram para o Brasil, se espalharam visando aplicar práticas de bom atendimento, fazendo o que gostavam no ramo de culinária, saindo da linha industrializada e mantendo receitas originais.

Como consumidores, a Schultz busca pessoas que prezam pela qualidade de vida, independentemente da faixa-etária. “Pois tem pessoas que colocam o preço à frente da qualidade de vida, e isso não é nada legal”, afirma Wladimir.

Embora a marca consiga fazer protocolos de preparo e armazenamento de maneira industrial para cumprir demanda, o diferencial da marca é não trabalhar com produtos industrializados. Todo processo é artesanal, preparados na hora, além de possuir um ambiente rústico e sofisticado.
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também vai gostar de: