Franquias crescem 6,3% e faturam 44,4 bilhões de reais, no terceiro trimestre

Setor tem modelos para quem quer trabalhar em casa, com investimento a partir de 10 mil reais e faturamento de até 50 mil reais por mês

Redação 14/01/2019
Redação 14/01/2019

O mercado de franquias cresceu 6,3% no terceiro trimestre, em comparação ao ano passado, pois o faturamento do setor passou de 41,850 bilhões de reais para 44,479 bilhões de reais em 2018, segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF). Para quem deseja abrir o próprio negócio, as franquias para trabalhar em casa se tornam opções mais viáveis, para quem dispõe de um capital menor para investimento ou até mesmo, para quem prefere trabalhar no conforto de casa. Essa modalidade dispensa a necessidade de uma estrutura fixa e é indicada para franqueados que estão começando a empreender. Há diversas opções, com modelos de baixo investimento, com faturamento de até 50 mil reais por mês.

É nesta categoria que se enquadra a franquia A.N.G.E.L.S (Agentes Nacionais de Gestão Especializada da Longevidade e Segurança), do Grupo Life Brasil – uma holding pioneira dedicada exclusivamente ao setor de seguros de vida. O modelo home office tem investimento inicial de 9.990 reais, valor que contempla a taxa de franquia e os equipamentos necessários para o início da operação. “Como nosso franqueado não necessita de um escritório para operar, isso reduz muito as despesas, e favorece o fluxo de caixa do empreendedor”, comenta Alberto Júnior, fundador da rede. A microfranquia da rede tem faturamento médio mensal estimado em 50 mil reais, com lucratividade em torno de 50% desde que seja aplicado o mix correto de serviços e produtos, executando o método que faz parte do sistema de vendas da marca.

Por ser um modelo de negócio já estruturado, investir em uma franquia pode trazer muitas vantagens para os empreendedores, inclusive para quem opta pelo setor de seguros, que costuma ter um investimento inicial mais baixo, quando comparados a outros modelos do franchising, pois, em alguns casos, o franqueado irá trabalhar como um corretor, fazendo a intermediação entre a marca e o segurado. “Este segmento é de alta escalabilidade. Para quem deseja entrar nesse ramo, a única exigência é que o futuro franqueado tenha aptidão para falar com pessoas”, comenta o fundador do Grupo Life Brasil.

Com atuação em mais de 800 cidades brasileiras, a rede está com um forte plano de expansão para todo o território nacional no próximo ano. Para o fundador da rede, a retomada da confiança na economia está fazendo as pessoas buscarem novos modelos de negócios para investir. “Os nossos modelos de franquias foram estruturados para diversos públicos que buscam por um seguro de vida com qualidade e responsabilidade. Também trabalhamos com modelos de seguros para outros ramos, como o de automóveis e residencial”, explica Júnior.

O Grupo já foi classificado como uma das maiores empresas do segmento segurador  e está listado entre os melhores do setor no mundo pela Million Dollar Round Table (MDRT), a maior associação mundial de seguros, que contempla apenas 0,2 % das empresas de seguro de vida.  Atualmente a rede conta com três unidades próprias e 12 franquias home office, a previsão da marca é abrir 60 novas unidades até o final de 2019.