Franquias de educação ainda têm muito que crescer no Brasil

A Jumper! Profissões e Idiomas cresceu 19% até agosto e só neste ano já inaugurou 16 unidades, com previsão de abrir mais oito até o final de 2018

Redação 27/09/2018
Redação 27/09/2018

Com a retomada da economia, a Associação Brasileira de Franchising (ABF), projeta um crescimento de 10% das franquias em 2019, e esse percentual poderá chegar a 15%, o que alcançaria a marca histórica de R$ 200 bilhões de faturamento. Isso mostra a força do sistema de franquias no Brasil e acirra a disputa com os EUA pela maior fatia desse mercado no mundo.

Entre tantos segmentos de franchising no Brasil, as franquias de educação se destacam pelo exponencial crescimento, afinal movimentaram mais de R$ 2,6 bilhões no primeiro trimestre deste ano, segundo a ABF. O resultado representa um incremento de 0,3% sobre o registrado no mesmo período do ano passado. Em número de unidades, as franquias do segmento expandiram sua atuação em 1,5% na mesma base de comparação.

Segundo o economista e diretor da Jumper! Profissões e Idiomas, Everton Sabú, as franquias de educação se tornam uma excelente opção para quem deseja empreender porque as redes franqueadoras do setor não exigem que seus franqueados tenham experiência no ramo, mas ter vontade de prospectar clientes e ter uma aptidão comercial é um diferencial positivo na hora de fechar o negócio.

“Não é necessário ter experiência em franquias e nem em educação. Mas a vontade de empreender, de buscar conhecimento, saber conversar com as pessoas, vender a ideia da sua empresa, seus serviços e produtos é de extrema importância. Temos uma carência na educação brasileira e as franquias deste segmento podem surfar nesta onda. Há muitas demandas de capacitação e formação pessoal e profissional no Brasil.” afirma Sabú.

Everton destaca que o setor de franquias continua crescendo a cada ano, devido à segurança que o modelo de negócio apresenta. “Quando o empreendedor adere a uma franquia, ele deve ter consciência de que o negócio já foi testado e o dono da marca já passou por várias experiências quanto à melhor forma de operar e de fazer a gestão do empreendimento. Tais aspectos são muito relevantes nos dias de hoje, uma vez que começar um negócio do zero, contando apenas com a vontade de empreender e com a afinidade com o negócio, é um risco muito grande para o capital investido. Ao passo que com a franquia, ele recebe desde o primeiro dia de operação todo apoio e acompanhamento da franqueadora”, afirma.

Sobre o crescimento do setor de franquias de educação, Everton ressalta que os números desta categoria foram influenciados pelos bons resultados das escolas de idiomas e redes de treinamento, opções bastante procuradas por quem busca crescer na sua área de atuação ou se recolocar no mercado de trabalho. “Nós, por exemplo, atuamos desde 2003 no segmento de educação, com as classes C e D. Tivemos um crescimento de 19% até agosto, só neste ano já inauguramos 16 unidades, e devemos abrir mais oito até o final de 2018”, conta.

Atualmente, estima-se que o mercado de educação, levando em conta os setores público e privado, em todos os níveis, movimenta mais de R$ 134 bilhões ao ano. Só o ensino de idiomas fatura mais de R$ 35 bilhões.

E é importante ressaltar que, de acordo com pesquisas de empresas do setor, só 3% da população brasileira é fluente em outra língua que não o português, o que mostra que há uma grande lacuna a ser preenchida e aproveitada por escolas e instituições que atuam nesse segmento.

 

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.