Líderes em ranking de falência e recuperação judicial, pequenos negócios devem ficar atentos a três pontos

Daniel Miranda 10/09/2019
Daniel Miranda 10/09/2019

As micro e pequenas empresas lideraram os pedidos de falência e recuperações judiciais em julho de 2019, com crescimento de 131% em comparação com o mesmo período do ano passado. As informações são de indicador divulgado recentemente pela Serasa Experian. No total, os pequenos empreendimentos tiveram 120 requisições em 2019, enquanto em 2018 o número foi de 52.

Para Daniel Miranda, gerente-geral da plataforma para microempreendedores Azulis, “o aumento de pequenos negócios que fecham as portas, ou que estão perto disso, acompanha também o crescimento dos empreendimentos no Brasil. Foram mais de 1,5 milhão de pequenas empresas criadas no primeiro semestre deste ano.* As pessoas estão arriscando mais, indo atrás de seus sonhos, e isso acaba se refletindo também na quantidade das empreitadas que ‘dão errado'”.

De acordo com a análise da Azulis, realizada com base nas estatísticas do Governo relacionadas ao Simples Nacional, de junho de 2018 a junho de 2019, em tono de 49% dos Microempreendedores Individuais (MEIs) deixaram de pagar ou atrasaram o pagamento do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS). Os estados com maior índice de inadimplência são Amapá e Amazonas, ambos apresentando uma média de 69% para o período analisado, e os que têm menor índice de inadimplência são Santa Catarina e Minas Gerais, ambos apresentando uma média de aproximadamente 43% para o período analisado.

Segundo o especialista, a inadimplência acarreta uma considerável perda de arrecadação para o País e pode prejudicar o futuro dos microempreendedores e de seus negócios: “se o MEI deixar de pagar 13 parcelas de contribuição, por exemplo, ocorre o cancelamento da condição de segurado da Previdência Social”

Confira 3 dicas do especialista para organizar sua empresa e minimizar riscos:

1. Pague os impostos em dia

Os Microempreendedores Individuais (MEIs) devem contribuir para o Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS), via tributária especial, com vencimento em todo dia 20 do mês. O DAS pode ter três valores diferentes dependendo da área de atuação do empreendedor: comércio ou indústria (R$ 49,90 ou R$ 50,90), prestação de serviços (R$ 54,90) e comércio e serviços (R$55,90).

Para pagar o DAS existe o Programa Gerador de DAS do Microempreendedor Individual (PGMEI), portal de acesso de informações tributárias para MEIs. Contudo, há grandes chances do empreendedor, imerso no dia-a-dia corrido de trabalho, esqueça de acessar o site e gerar o boleto. Para simplificar esse processo, a plataforma da Azulis criou um lembrete DAS, que é enviado via sms, já com o código do boleto para todos que se inscreveram gratuitamente.

2. Atenção aos custos fixos

Ao abrir um negócio, o empreendedor precisa estar ciente de que não pode gastar todo o dinheiro que recebe das vendas de seus produtos ou serviços. Isso porque todas as empresas têm custos. Eles podem ser os mais variados, a depender da natureza do negócio, mas apenas para citar alguns: aluguel de ponto de venda, compra de matéria-prima e suprimentos, reparos na estrutura do local, divulgação, etc.

É necessário estar sempre atento aos valores desses gastos e deixar sempre uma reserva para eventuais emergências. Assim como na vida pessoal, o planejamento financeiro da empresa deve ser prioridade para os empreendedores em qualquer estágio.

Para ajudar o empreendedor a planejar e gerir seu negócio, a Azulis criou uma série de vídeos focados nos MEIs no canal do YouTube. Confira o sobre “Plano de Negócios”: www.youtube.com/watch?v=C2gbQJiUHxE

3. Cuide da gestão empresarial

Balanço PatrimonialDemonstrativo de Fluxo de Caixa e o Demonstrativo de Resultados do Exercício (DRE) integram o grupo de documentos indispensáveis para gestão empresarial responsável e eficiente, além de ajudarem a avaliar a saúde financeira de qualquer empreendimento, independentemente do seu porte ou setor de atuação no mercado. É importante acompanhá-los!

Esses documentos podem ajudar o empreendedor a tomar decisões sobre o melhor momento para investir no crescimento do negócio ou buscar crédito no mercado. Para ter as informações sempre às mãos, o empreendedor pode contratar os serviços de um contador profissional ou de uma empresa de contabilidade online.

*Daniel Miranda é gerente-geral da Azulis.

Sobre a Azulis

A plataforma Azulis oferece soluções digitais para pequenos microempreendedores individuais (MEIs), autônomos, Pequenas e Médias Empresas – incluindo serviços para gestão financeira e de cobrança, emissão de boletos, ferramentas gratuitas como lembrete DAS, e o primeiro marketplace de maquininhas de cartão do Brasil, incluindo informações sobre todas as maquininhas do mercado com preços e taxas atualizados, além de promoções exclusivas. Outras ferramentas e soluções já estão em desenvolvimento. A Azulis é uma start-up criada no Brasil e faz parte do grupo Red Ventures, que possui um amplo portfólio de empresas digitais no Brasil, Estados Unidos e Inglaterra.

Uma das principais ferramentas da Azulis é o comparador de maquininhas, onde o dono de negócio pode acessar e consultar, em um só lugar, as principais empresas que oferecem maquininhas no mercado e as especificações de cada um, como taxas, modelos, modo de cobrança, entre outros. Além de atualizar os dados diariamente, a plataforma garante ofertas que podem ser encontradas apenas no site da Azulis.