Até aonde vai esse maluco?

Luciano Hang constrói o maior império de lojas de departamentos do país, em 14 estados, com mais de 100 mil itens, cresce 35% ao ano e fatura R$ 5 bilhões em 2017

redação 19/09/2018
redação 19/09/2018

“Você é um maluco”. Luciano Hang, o ex-operário de fábrica e que começou a empreender numa loja de 45 metros quadrados, sempre ouviu essa expressão ao longo da sua vida desde que abriu a primeira megaloja Havan, em Brusque, e ergueu no lado a estátua da liberdade, símbolo maior dos americanos. As palavras que poderiam ter o aniquilado logo no início, sempre foi um estímulo para ir sempre em frente. Hoje já soma 112 megalojas. Quer chegar em 2022 a 200 lojas, empregar mais de 20 mil pessoas e um faturamento que poderá bater na casa de R$ 10 bilhões.

Na metade do ano, um ritual que já se tornou rotina na Havan, a festejada loja de departamentos catarinense, repetiu-se mais uma vez. A empresa abriu as portas da sua última filial, na cidade catarinense de Videira, e como costuma acontecer nos locais onde a Havan lança âncora, a cidade parou para conferir de perto as novidades de cama, mesa e banho, utilidades domésticas, eletroeletrônicos, entre inúmeros outros produtos nacionais e importados, que formam um mix de 100 mil itens.

Como das outras vezes, o sucesso que acompanha a rede catarinense se repetiu. Nada menos que 40 mil consumidores passaram pela loja só no primeiro final de semana, conferindo de perto o empreendimento comandado pelo empresário Luciano Hang. Desta vez, Hang investiu R$ 30 milhões na abertura da filial, erguida em 6 mil metros quadrados, com estacionamento rotativo e área de alimentação. A euforia que a presença da Havan provoca nas cidades onde aporta – entre consumidores e lideranças políticas – é inegável. Na inauguração da filial de Sinop (MT), foram 150 mil pessoas que prestigiaram a inauguração durante o final de semana. Aproximadamente, o mesmo número de consumidores compareceu a inauguração da 100ª filial, em Rio Branco, no Acre.

No Rio Grande do Sul, onde a rede catarinense anunciou investimentos de até R$ 2 bilhões no início do ano, houve uma verdadeira disputa entre municípios que se candidataram a sediar a empresa. Ao final, Caxias do Sul e Passo Fundo foram os escolhidos para receber investimentos iniciais que devem chegar aos R$ 50 milhões e gerar mais de 125 empregos por loja. Na reunião que teve com o governador gaúcho, Hang explicou seu ousado plano de erguer nos próximos anos pelo menos 50 novas megalojas e gerar até 10 mil empregos diretos no estado. Em Videira, 150 pessoas passaram a trabalhar na rede varejista. Com a recente expansão, a rede catarinense chega ao segundo semestre do ano presente em 15 estados e contabilizando 112 megalojas distribuídas em 1 milhão de metros quadrados construídos.

A incrível expansão da Havan talvez só possa ser comparada aos feitos do seu proprietário. Catarinense de Brusque, Luciano Hang, 55 anos, iniciou sua exitosa trajetória no cenário varejista nacional em 1986, com a abertura de uma pequena loja de 45 metros quadrados, que ostentava apenas um balcão e um funcionário, sediada na Av. Primeiro de Maio, em Brusque. O nome inusitado surgiu da união de Hang com Vanderlei, o antigo sócio que participou da história da empresa nos primeiros seis anos de vida. Na década de 1990, o primeiro impulso de crescimento veio com a abertura do mercado nacional aos produtos importados, quando os tecidos e artigos de baixo valor agregado passaram a fazer parte do varejo brasileiro.

O final da década trouxe a desvalorização cambial e a Havan passou a atuar diretamente como uma loja de departamentos. Em 1995, junto com a inauguração da primeira filial, em Curitiba, a loja passa a adotar uma arquitetura que reproduz a Casa Branca e a réplica da Estátua da Liberdade – símbolos do estado norte-americano – como uma marca. Os próximos dez anos seriam de uma expansão planejada no Paraná e em cidades catarinenses, incluindo a abertura de uma majestosa filial em Florianópolis. Em 2008, em outra jogada de mestre, Hang assume a restauração do antigo Castelinho de Moellmann, um dos principais cartões-postais do estado, localizado no centro histórico de Blumenau, transformado em loja temática. Um novo marco na história da rede seria a abertura da Parada Havan, em Barra Velha (SC), onde foi instalado o Centro de Distribuição Havan. De acordo com o empresário, um dos trunfos da empresa foi entender as sucessivas ondas da economia nacional nos último 30 anos, passando de grande vendedora de tecidos a estrela das lojas de 1,99 até se consolidar como loja de departamentos.

Atrás da meta estabelecida de inaugurar mais 20 lojas no Paraná e Santa Catarina nos próximos dois anos e atingir a cifra de 200 lojas até 2022, Luciano Hang busca a liberação de alvarás para construir em mais de 20 terrenos já adquiridos pela empresa. Se tudo correr como planeja, 2018 deve superar as 13 unidades. Em 2017, a empresa cresceu 35% e atingiu um incrível faturamento que gira em torno dos R$ 5 bilhões.

 

A presença de símbolos norte-americanos que a Havan adotou como identidade visual acabou consolidando uma imagem liberal que o empresário Luciano Hang faz questão de brandir como uma verdadeira bandeira ideológica. A ideia de colocar uma estátua da liberdade em frente de cada loja surgiu de uma criança, que sugeriu a Hang a proeza. Hoje a estátua faz parte da identidade da rede, e provavelmente o Brasil seja o país que possui mais réplicas da estátua em todo o planeta. Notabilizado pelas críticas aos recentes governos é um defensor ferrenho de uma economia livre de amarras estatais. Dessa maneira, o filho de operários que ficou milionário – ele mesmo tendo vivido por sete anos como operário de uma indústria têxtil – apostou na polarização como uma forma de se fazer ouvir.

Detentor de inúmeros prêmios de empreendedorismo por todo o país, Hang também enfrentou problemas com a justiça, através de acusações que envolviam importações fraudulentas através do Porto de Itajaí. Chegou a ser autuado pela Receita Federal, mas pagou a dívida através do Refis (regularização de débitos) e teve outras acusações consideradas nulas pela justiça. Sempre com um pé na possibilidade de candidatura política, o empresário catarinense ainda mantém em suspense seus próximos passos no campo eleitoral. O que não descarta uma verdadeira peregrinação a favor do livre mercado e a desburocratização do estado brasileiro. “Adoro os Estados Unidos, mas as pessoas têm que saber que é possível fazer no Brasil uma empresa de sucesso tendo a melhor equipe. Portanto o sucesso não é meu, mas dos 10 mil colaboradores que a Havan tem”, costuma afirmar.  Para o empresário, a receita do sucesso da rede está na dedicação e no comprometimento da equipe, na superação diária e no encantamento do cliente.

Independente das polêmicas políticas, é impossível para os empreendedores nacionais não identificarem em Hang um gestor que inventou uma nova forma de vender, com lojas descentralizadas em cidades de menor porte e que fez vigorar com sucesso o modelo de loja de departamentos, que para muitos analistas do varejo, já estaria esgotado. “Não adianta vender produtos com pouca qualidade e querer enganar o cliente com outros artifícios. Ao contrário, temos que conquistar o coração do cliente”, afirma. Além de propagar que o foco das ações da Havan tem como norte a paixão pelos clientes e funcionários, Hang dá como fórmula para o sucesso a constante busca pela inovação.

“Fazer sempre melhor e de maneira diferente é fundamental. Quando você acha que está tudo perfeito, aí é o começo da descida do teu desempenho.  É preciso se reinventar a cada loja inaugurada”, ensina. Mas nem só o crescimento através de megalojas destinadas a encantar o consumidor médio – algumas até com salas de cinema – fazem parte dos planos de Luciano Hang. O empresário também vem diversificando seus investimentos e pretende apostar alto no setor elétrico, com um aporte de R$ 400 milhões através da aquisição de PCHs – Pequenas Centrais Hidrelétricas, com capacidade de 63 megawatts, a exemplo das três unidades que já possui no interior de Santa Catarina.

Linha do tempo

1986

A Havan inicia suas atividades em uma sala de 45m², um balcão e um funcionário, em Brusque, SC.

 

1989

Com o crescimento do número de visitantes e a diversificação dos produtos, uma nova sede é inaugurada no centro da cidade.

 

1994

Reconhecida como destaque no varejo regional, a empresa começa a estabelecer seus diferenciais de marketing. A construção de um novo prédio de 7 mil m² ganha contornos estilizados da Casa Branca, sede do governo dos Estados Unidos.

 

1995

A primeira filial em Curitiba conquista toda a região. Implanta a primeira Estátua da Liberdade na filial de Brusque, símbolo que representa a liberdade de escolha dos clientes e se torna um marco da rede.

 

1996

A aquisição de uma nova área de 14 mil m² junto à matriz amplia para 21 mil m² a loja de departamentos mais completa do Brasil. A Havan amplia o mix de produtos importados e passa a oferecer eletrônicos, brinquedos, ferramentas, utensílios domésticos, entre outros.

 

1997

Com o sucesso da primeira filial, a Havan inaugura no mês de maio mais uma loja na capital paranaense, no bairro Barigüi.

 

2000

A terceira filial da Havan é inaugurada em Curitiba, na BR-116, bairro Parolin, seguindo o mesmo padrão de fachada da matriz.

 

2002

Inaugura em Florianópolis a primeira filial catarinense. A loja possui 7 mil m² e apresenta a Estátua da Liberdade como destaque.

 

2003

Lançamento do site da empresa aproxima a Havan do público, permitindo que os clientes conheçam a empresa, seus produtos e campanhas através da Internet.

 

2004

Inauguração de duas novas filiais em Santa Catarina, em Joinville e Criciúma.

 

2005

Inauguração da filial no Shopping Center Neumarkt, em Blumenau, com a adoção de um novo padrão de loja, combinando arquitetura, decoração e mix de produtos de forma integrada.

 

2010

Após inaugurar filiais em Santa Catarina e Paraná, é inaugurada a Parada Havan, com 40 mil m², em Barra Velha, SC, onde instala seu Centro de Distribuição (CDH) um marco na história da rede.

 

2012

A empresa cumpre a meta e atinge as 50 megalojas, consolidando-se como a loja de departamentos mais completa do Brasil.

 

2013

Dando continuidade ao acelerado projeto de expansão, a Havan conquista novos estados, como São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás, totalizando 62 megalojas.

 

2014

Inauguração de 24 megalojas nos estados de Minas Gerais, Bahia, Rondônia e Pará, totalizando 86 lojas em todo o Brasil.

 

2016

A campanha de quem é o dono da Havan confere a Luciano Hang, presidente da rede, prêmios como personalidade do ano e ADVB Top de Marketing.

 

2017

A Havan chega a sua 100ª megaloja em Rio Branco, no Acre. A inauguração da filial contou com número recorde de público, com 150 mil pessoas presentes. Até 2022, a empresa planeja chegar a 200 megalojas espalhadas por todo o Brasil.

 

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.