Conheça dez histórias de parcerias que renderam bons negócios

29% das sociedades são feitas entre amigos de acordo com pesquisa realizada pela MindMiners

Dia do Amigo, comemorado em 20 de julho, é uma boa oportunidade para conhecer histórias de amizades que extrapolaram aquele sentimento de fraternidade mútua e que se transformaram em negócios de sucesso. Segundo relatório sobre empreendedorismo, feito pela MindMiners e encomendado pelo PayPal, entre os empresários que têm sócios, 29% são amigos, ficando atrás apenas das sociedades entre familiares. Contrariando o ditado popular “amigos amigos, negócios à parte”, seja por meio de franquias ou licenciadoras, nos mais diversos segmentos, são inúmeros os cases de amigos que decidiram partilhar mais esta etapa da vida em busca do tão sonhado negócio próprio.

A amizade de mais de uma década foi a garantia para Leandro Puhis Martins e Diego Faria Euflasino traçarem, junto com suas respectivas esposas, Bruna Stresser Schimitt Martins e Suzanne Pamella de Castro, o plano de abrir o próprio negócio. O quarteto investiu em uma franquia da rede Casa de Bolos, na cidade de Sarandi, no Paraná. Inaugurada recentemente, a loja é a realização de um sonho antigo de estrear no franchising, com um modelo de negócios lucrativo e com uma tradição no mercado, visto que a Casa de Bolos é pioneira no segmento de bolos caseiros.

Cunhados e amigos, Anne Carolinne Paiva Maia e Ivanoe Hermano de Sá Júnior, uma enfermeira e um engenheiro civil, abriram a primeira unidade da Chocolateria Brasileira no nordeste do país, em João Pessoa, no estado da Paraíba. A ideia de empreender ganhou força quando um amigo em comum apresentou os produtos que comprou em uma viagem a Brasília. Inaugurada em maio de 2021, a loja teve uma excelente aceitação dos paraibanos e os amigos comemoram o sucesso.

 

 

 

Elbio Valente e  Everaldo Brame, amigos há quase 20 anos, estão para inaugurar uma unidade da rede especializada em idiomas e cursos livres, Park Education, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. “Eu tive vontade de empreender, gostei do projeto da franquia e, conversando com o Everaldo, resolvemos ser sócios”, explica Valente, que completa, “empreender com o amigo é ter certeza que você se dá muito bem com ele para evitar desentendimentos, rompimentos que envolve até a rede de amizade em comum. Normalmente, com amigos próximos e de longa data já é possível saber se daria certo ou não por já terem passado por muitas situações juntos, ou até por saber como ele lida com as adversidades”.

 

Amigos desde o colégio, Raphael Mattos e Pedro Machado criaram em 2015 a PremiaPão, rede de franquias de anúncios em sacos de pão. “O dia a dia é mais prazeroso e o trabalho mais leve. No nosso início, por exemplo, a gente tinha que se automotivar todos os dias, precisávamos sair para rua e vender para as empresas nossa solução. Recebíamos muito não, então, levávamos muito para o lado do humor”, conta Mattos. Mas vale o alerta: “No começo é otimismo, mas na prática é outra coisa e é preciso o respeito, ética e separar bem os papéis de amizade e profissional. Os contratos devem ser bem feitos e é aí que muita gente se engana”, alerta o empreendedor.

Com uma amizade de longa data, Mauricéa de Sant’anna e Elisabete Correia decidiram investir na rede de cuidadores Home Angels. “Foi a  Elisabete quem teve a ideia, já que é professora de cuidadores de idosos. Eu sou muito ligada ao idoso, pois tenho avó com 103 anos, pai com 93 anos e mãe com 83 anos. Resolvemos unir nossa experiência e nos lançar a este desafio, associando-nos a uma empresa consolidada e cujo trabalho é de excelência”, conta Mauricéa, que ainda deixa uma mensagem aos empreendedores. “Um dos elementos-chave para o triunfo de qualquer negócio em sociedade é a boa amizade acima de tudo. Quando estão presentes a confiança, o respeito e amor, associado a perseverança, as chances de sucesso são enormes”, conclui.

Amigos desde a infância, os maringaenses Hebert Erick Martins Lopes e Rodolfo Zanardi Loiola decidiram empreender com a Take and Go, uma startup que, com o uso de Inteligência artificial, criou uma vending cooler para disponibilizar diversos rótulos de cervejas geladas nas áreas comuns dos condomínios durante 24 horas por dia. Os dois contam que o desejo de ter um negócio próprio e conhecer um pouco mais do segmento de venda de bebidas, proporcionando novas experiências de compra e de consumo aos clientes, chamaram a atenção de ambos. Atualmente, com dez vending coolers instaladas na cidade de Maringá, no Paraná, o retorno financeiro tem superado as expectativas e a previsão é instalar mais 20 equipamentos até o final do ano, incluindo as cidades de Londrina e Foz do Iguaçu.

O trio de amigos formado por Guilherme Mauri, Marcelo Villares e Douglas Pena, somaram suas experiências em consultoria corporativista, TI e franquias, respectivamente, para lançar a Minha Quitandinha, um minimercado autônomo focado em condomínios residenciais. Atualmente com cerca de 20 lojas abertas, a meta agora é conquistar seu primeiro milhão até o final de 2021. Pensando no futuro, os amigos empreendedores querem triplicar o número de lojas em 2022 faturando R$ 48 milhões  e chegar a R$ 1 bilhão em 2025, com 800 lojas abertas. Razões para acreditar nisso não faltam: a Minha Quitandinha tem um horizonte promissor pela frente, já que oferece um serviço 100% digital, dispensando interações humanas e ainda gera cashback para o condomínio.

De origem humilde, filho de empregada doméstica e de um porteiro, Leandro Souza cresceu no subúrbio carioca e, na adolescência, conheceu Bruno Gorodicht, amigo que o incentivou a ir aos Estados Unidos em busca de mais oportunidades. Sem conhecer bem o idioma, Souza trabalhou como manobrista, segurança de boate e entregador de pizza, criou sua própria empresa de vallet e realizou o sonho de ser piloto de avião. Em 2009, de volta ao Brasil, identificou a oportunidade de trabalhar com uma paixão nacional: espetinhos! Foi quando em 2011, junto ao amigo Bruno, criou o Espetto Carioca. Hoje, os amigos de adolescência são sócios nesse negócio com mais de 30 unidades espalhadas pelos estados de Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia, Ceará e Rio Grande do Sul.

Benny Kessel e  André Levy são sócios de duas lojas da Sestini, rede especializada em malas e acessórios de viagem, na cidade do Rio de Janeiro. Os empresários são amigos desde os dois anos de idade e brincavam juntos. “Crescemos unidos e nossa relação só melhora ao longo dos anos, tanto que viramos parceiros nos negócios. Estamos bem felizes com a inauguração de mais uma loja e não pretendemos parar por aqui. Nossa intenção é abrir mais unidades na capital carioca, pois entendemos que há bastante espaço neste segmento”, afirma Kessel.

 

O baiano Luiz Souza estava insatisfeito com a carreira quando decidiu, em 2018, viajar para Salvador e conhecer melhor a empresa de um amigo, Fritz Paixão, CEO da CleanNew, uma franquia de limpeza e blindagem de estofados. “Eu era diretor comercial de uma grande empresa, mas sentia que me dedicava ao propósito de outras pessoas e não aos meus”, conta. Mas, para investir no negócio, precisava de um sócio e convidou um de seus melhores amigos, Vinícius Matos, para realizar o sonho. “Além de ser da minha confiança, ele não estava trabalhando na época, aguardava ser chamado em um concurso e eu queria ajudá-lo. A franquia deu tão certo que ele desistiu do cargo público e estamos juntos até hoje”, conta.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também vai gostar de: