Pró-Sertão incentiva interiorização da indústria

redacao 07/08/2013
redacao 07/08/2013

Resultado de um esforço conjunto entre Sebrae no Rio Grande do Norte, Federação das Indústrias do Estado (FIERN) e governo estadual, o Pró-Sertão foi lançado nessa segunda-feira (5), na capital, e deverá criar nos próximos quatro anos 360 novas pequenas fábricas, além das 100 já existentes, abrindo cerca de 20 mil postos de trabalho e qualificando milhares de profissionais. O projeto de Industrialização do Interior vai estimular a criação de pequenas unidades fabris, denominadas facções, em diversas cidades do estado para suprir às demandas de grandes grupos têxteis, como a Hering e, principalmente, o grupo Guararapes, que detém a rede de lojas Riachuelo

O público-alvo do Pró-Sertão são os empresários que pretendem montar as facções e aqueles que já possuem essas unidades. Eles receberão incentivos – com soluções de crédito facilitadas e rápidas – e capacitações para atender às exigências das grandes indústrias. O Sebrae dará suporte aos empreendedores ao disponibilizar capacitações e consultorias para que as unidades se desenvolvam de forma sustentável. As consultorias serão 70% subsidiadas pela instituição. A estimativa é aplicar no projeto cerca de R$ 7,5 milhões pelos próximos quatro anos. 

“É um projeto de geração de novos negócios que vai estimular o empreendedorismo, mudar a mentalidade do empresariado e também a realidade do interior, sobretudo o Sertão”, observa o superintendente do Sebrae no estado, José Ferreira de Melo Neto. Segundo o superintendente, será um desafio capacitar um número tão grande de empresas, mas, considera o Pró-Sertão um embrião de um projeto maior.

Na visão de José Ferreira, as grandes cadeias de lojas poderiam adquirir produtos finalizados de pequenas empresas do segmento, como é o caso da indústria boneleira. Atualmente, o Rio Grande do Norte possui o segundo maior polo produtor de bonés do país. O Seridó só fica atrás de Apucarana (PR) em termos de produção. 

Para o presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae no estado, Sílvio Bezerra, o sucesso do programa só será possível se o estado acelerar o projeto de lei, que trata do licenciamento ambiental digital facilitado para empreendimentos de pequeno porte com baixo potencial poluidor. “Sem essa lei aprovada, o Pró-Sertão não terá os efeitos desejados”, alertou Sílvio Bezerra. 

De acordo com a governadora Rosalba Ciarlini, o projeto de lei já foi analisado pela equipe do governo e deverá ser encaminhado para a assembleia legislativa ainda neste mês. “Nosso governo soma forças a fim de criar todas as condições necessárias para que os resultados desse projeto sejam ainda maiores do que estamos estipulando”, garante Rosalba Ciarlini.

Informações Agência Sebrae