Startup brasileira utiliza IA para melhorar diagnóstico e tratamento do coronavírus

Conforme a ONU, a utilização dos raios-x e outras ondas físicas como o ultrassom pode resolver 70% a 80% dos problemas globais de diagnóstico de diversas patologias.

O aparelho tem baixo custo de aquisição e manutenção, por isso, pode ser facilmente encontrado em unidades de saúde, desde pequenas à grandes cidades.

E desde a sua origem, a startup Rdicom sabe bem a importância dessas informações! Foi pensando na eficácia do uso do raio-x que a startup decidiu unir o útil e o acessível para entrar na luta contra o novo coronavírus.

Foi assim que eles criaram o robô Vics: uma tecnologia treinada com mais de 100 mil exames, entre eles mais de 1.000 exames de pacientes que testaram positivo para o novo coronavírus, e que alcançou 97% de precisão no diagnóstico das lesões causadas pelo vírus.

“O diagnóstico por raio-x não é teste de covid. Ele dá subsídio para o médico definir, a partir das lesões identificadas, qual tratamento proporcionar ao paciente, se é necessário encaminhar para outros exames, respirador, etc”, explica Robson Fagundes, CEO da Rdicom.

O robô Vics oferece aos médicos e pacientes, por meio dos exames de raio-x, exatamente o que o novo coronavírus exige: acesso à exames que qualificam o diagnóstico e o tratamento, a possibilidade de analisar e emitir laudos à distância, e claro, mais agilidade!

Sobre a Rdicom

Desde a sua origem, a Rdicom tem como objetivo entregar exames de radiologia via internet. Assim, médicos e pacientes podem acessar as imagens e resultados de qualquer lugar, sem precisar se deslocar. O que facilita bastante a vida de pacientes que estão em cidades pequenas ou distantes dos grandes centros de tratamento.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também vai gostar de: