Uso de assinaturas eletrônicas cresce 140% e deve chegar a dois milhões/mês

Dados da ZapSign, uma das principais startups de assinatura de documentos por meios digitais do País, mostram ainda que adoção da iniciativa por empresas quase dobrou em 2023

O uso de assinaturas eletrônicas vem crescendo consideravelmente no País, uma vez que geram praticidade, segurança e eficiência aos negócios. Inclusive, como mostram os dados da ZapSign, uma das principais startups de assinatura de documentos por meios digitais do Brasil, houve crescimento de mais de 140% no número de títulos autenticados mensalmente em 2023. Inclusive, ainda em janeiro, a companhia projeta registrar uma média mensal de dois milhões de assinaturas. Para se ter uma ideia, em outubro de 2022, a empresa contabilizava uma média de 708 mil assinaturas mensais.

O fundador e CEO da startup, Getúlio Santos (foto em destaque), destaca que o movimento, iniciado especialmente na pandemia, é tendência desde então. Com isso, o executivo vê o aumento no número de assinaturas eletrônicas como reflexo da digitalização dos negócios. “As empresas brasileiras estão cada vez mais investindo na digitalização de seus processos e as assinaturas eletrônicas são uma parte importante dessa transformação, pois permitem a elas simplificar e automatizar seus processos de assinatura”, ressalta. Apenas em 2023 houve ainda aumento de 96% no número de clientes da ZapSign, incluindo Itaú e GPA, este último um dos maiores grupos varejistas alimentares da América do Sul.

Santos também atenta que “o fato de o País possuir uma legislação favorável ao uso de assinaturas eletrônicas estimula a adoção desse tipo de iniciativa”. Ele observa ainda que a Medida Provisória nº 2.200-2, de 2001, regulamenta o uso de assinaturas digitais e eletrônicas no Brasil, garantindo sua validade jurídica.

Com mais de um milhão de usuários ativos em sua plataforma, a ZapSign já contabiliza mais de 30 milhões de documentos assinados. Além do território brasileiro, está presente em outros 16 países.

“Por meio das assinaturas eletrônicas, as pessoas podem assinar documentos de forma rápida e fácil, de qualquer lugar. Além disso, a segurança é outro benefício importante, pois elas são protegidas por criptografia, garantindo a autenticidade e a integridade dos materiais assinados. Por fim, a eficiência é também um fator importante, pois tais autenticações podem reduzir o tempo e os custos associados à ao processo tradicional”, completa o executivo.

Coleta off-line
Graças ao sistema desenvolvido pela ZapSign, é possível ainda fazer a coleta de assinaturas off-line, como é o caso de clientes cujos parceiros de negócios estão em regiões remotas do Brasil, sem acesso à internet. Ao visitar esses locais, representantes das empresas colhem as assinaturas dos clientes em um tablet. Ao chegarem a um lugar com internet, transmitem as assinaturas, acompanhadas de todos os dados necessários para as verificações de autenticidade e integridade, ao sistema da ZapSign.

Sobre a ZapSign:
Criada em 2020, a startup brasileira ZapSign permite às empresas enviar documentos para serem assinados por meio de aplicativos de mensagens, como WhatsApp, e-mail ou qualquer outro canal de comunicação. Com mais de um milhão de usuários ativos cadastrados (entre assinaturas gratuitas e premium) e mais de 30 milhões de documentos já assinados, a plataforma apresenta interface simples e intuitiva, além de excelente custo-benefício. Dentre os clientes, estão algumas das maiores empresas do País, como Itaú, Grupo GPA, Greenpeace, L’Oréal Brasil, Unimed e Rappi. Iniciou seu processo de internacionalização em 2021 e, atualmente, conta com clientes em 17 países. Faz parte da Truora, eleita a quarta melhor startup para jovens trabalharem no Brasil, segundo o ranking Employer for Youth (EFY).

Facebook
Twitter
LinkedIn