Mercado de luxo aposta no valor da experiência do cliente

Empresária Manu Berger tem uma trajetória respaldada em muita busca pelo conhecimento para ingressar no mundo inspirador de alto padrão

“Minha ideia de realização profissional passou por diferentes momentos. Iniciei minha carreira como diretora financeira de uma grande organização e foi nesse período que vislumbrei um novo patamar de trabalho e fui em busca disso para ingressar em um mercado diferente”, conta a empresária Manu Berger, que saiu do Brasil e se especializou em mercado do luxo em alguns dos mais renomados centros de ensino, como a Florence University of the Arts em Florença, Instituto Français de la Mode em Paris e Instituto Marangoni, presente em várias capitais.

Nesta entrevista exclusiva ao Portal Empreendedor, a catarinense conta que descobriu a vocação de consumidora para especialista do mercado de luxo em um universo centenário de histórias e experiências que poderiam ditar inúmeras tendências em qualquer nicho e segmento. “Precisava de mais e me formei também em Gestão de Luxo no Brasil. As ideias começaram a ganhar vida e eu lancei meu próprio portal de conteúdo, um espaço digital para democratizar o mercado e falar sobre os principais ensinamentos, atributos e, claro, compartilhar notícias e atividades factuais que possam empoderar qualquer interessado no mercado atual”, conta.

Tamanha bagagem a fez apostar em novas fases na carreira. Desde eventos de relacionamento com marcas (como Tiffany &Co, Dior, Goyard, Cartier e Burberry), onde desenvolveu ações que mostram a real importância da prospecção e fidelização dos clientes, até processos de consultoria empresarias e mentorias de negócio: uma forma de aplicar toda a minha expertise em novos negócios e criar uma estratégia de planejamento mais assertiva e duradoura.

“Hoje sou especialista em mercado de luxo, atuo como CEO do Portal Terapia do Luxo, um dos mais importantes portais de conteúdo sobre o universo do alto padrão da internet brasileira e também sou Diretora de uma agência de Comunicação Integrada que atende clientes específicos, grandes e pequenos empresários, empreendedores consolidados e iniciantes em um processo de imersão de negócios. Além disso, sou colunista do Portal Administradores, ministro cursos, palestras, treinamentos e workshops sobre o segmento no Brasil e no exterior”, relata Manu, que detalhou um pouco mais da sua trajetória na entrevista abaixo:

– Quais foram seus desafios iniciais?

No meu caso específico, tive muita dificuldade em ser compreendida pelo mercado. Há 9 anos atrás, quando iniciei minha jornada, o mercado de luxo ainda era algo a se descobrir no Brasil, por inúmeros motivos. Havia muitos paradigmas para se quebrar, como por exemplo, o conceito desse segmento. O mercado de alto padrão carrega, ainda, alguns estereótipos de que existe o perfil de ostentação ou até futilidade. Foi preciso investir em muito conteúdo para disseminar a real essência desse setor e fazer com que o público entenda que é um segmento promissor e de muita inspiração. Portanto, meus desafios se basearam em expandir esse conhecimento. para que todos pudessem entender a real importância de estudar um nicho que pode nos ensinar diversas estratégias, a fim de buscar um melhor posicionamento de mercado.

– Como conseguiu encontrar as soluções?

Aos poucos eu fui construindo cases, material, conteúdo, para que eu me pudesse sustentar e apoiar toda essa minha intenção em democratizar o mercado. Foi através do networking e das inúmeras palestras e encontros que o mercado começou a entender o meu trabalho, o meu nicho e me dar cada vez mais a voz e poder de persuasão. Fui construindo a minha história que se solidificou e virou uma forte aliada na hora de mostrar a real importância da minha atuação e do mercado que estudo.

– Quais os resultados atuais e como foi manter os negócios na pandemia?

Eu sempre falei sobre o valor da experiência, que é algo que o mercado de luxo defende muito. Mais do que consumir ou ter algo de precificação alta, é o valor daquele momento, daquele serviço ou produto, que você vai levar como memória afetiva para sua vida. Com a pandemia, essa questão do valor, dos pilares emocionais que sustentam todos os tipos de relacionamentos, inclusive os comerciais, ficou muito mais em evidência. As pessoas não querem apenas consumir, elas querem entender de que forma aquela marca ou empresa é uma facilitadora para sua vida e quais as causas que ela está engajada que se assemelham com a sua forma de pensar. A pandemia trouxe essa sensação de aproximação, identificação e conexão ainda mais forte.

O comportamento do consumidor é o que dita o mercado e, por isso, estamos em constante transformação e atualização, inclusive o mercado de luxo já tão consolidado

– Quais as dicas para quem quer empreender?

Definitivamente é conhecer quem é você, quem é sua marca ou empresa e quem é o seu consumidor. Você precisa saber com quem você quer falar e por que você vai chegar até ele. Se você não entende os anseios, as dores, as preocupações e necessidades do seu público, você não vai conseguir ministrar um “approach” que sensibilize seu nicho de mercado. Falar em se conhecer pode parecer óbvio, mas em minha trajetória já me deparei com muitas empresas que não sabiam qual era seu propósito e missão e, se sabiam, não conseguiam deixar isso transparente para o mercado. É preciso ter clareza em suas intenções e, com isso, deixar seu consumidor ser uma extensão de sua marca e fazer parte daquilo.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Você também vai gostar de: