Empreendedor - negócio criativos, inovadores e rentáveis

EMP 261 site Última edição Edição 261 December 2016 Assine

Aceleração das importações faz superávit comercial cair na primeira semana de julho

Carla Kempinski 08/07/2013
Carla Kempinski 08/07/2013

A aceleração nas compras do exterior neutralizou o crescimento das exportações e fez o superávit da balança comercial – diferença entre exportações e importações – cair na primeira semana de julho. Segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o país exportou US$ 198 milhões a mais do que importou na semana passada, contra o superávit de US$ 745 milhões na semana anterior. O saldo positivo decorre de exportações de US$ 4,79 bilhões e importações de US$ 4,59 bilhões.

Com o resultado da semana passada, o déficit da balança comercial acumulado em 2013 caiu para US$ 2,89 bilhões, contra o total de US$ 3 bilhões registrado até 30 de junho. No acumulado do ano, as exportações somam US$ 119,21 bilhões e as importações, US$ 122,11 bilhões.

No mesmo período do ano passado, a balança comercial registrava superávit de US$ 7,68 bilhões. O déficit este ano, no entanto, é influenciado pelo registro em atraso de US$ 4,5 bilhões de importações da Petrobras. As operações ocorreram em 2012, mas só foram incorporadas ao saldo comercial referente ao período de janeiro a maio.

Na primeira semana de julho, as exportações cresceram 0,4% em relação ao mesmo período do ano passado pelo critério da média diária. Os embarques de bens primários somaram US$ 467,7 milhões pela média diária, com alta de 3% em relação à primeira semana de julho de 2012. O crescimento foi impulsionado por minério de cobre, soja em grão e carnes.

O destaque, no entanto, foram as exportações de produtos industrializados, que cresceram 9% pela média diária, de US$ 342,8 milhões para US$ 373,5 milhões, na primeira semana do mês na comparação com o mesmo período de 2012. A alta foi impulsionada pelas vendas de aviões, automóveis de passageiros, óleos combustíveis, suco de laranja não congelado, etanol e medicamentos.

A média diária das exportações de semimanufaturados, no entanto, caiu 31,5%, passando de US$ 138,4 milhões para US$ 94,8 milhões. A redução decorre da queda dos embarques de óleo de soja em bruto, ferro fundido, semimanufaturados de ferro e aço e açúcar em bruto.

Apesar da reação das exportações, principalmente de manufaturados, as importações continuaram a aumentar em ritmo maior do que as exportações na semana passada. Entre 1º e 5 de julho, a média diária das compras do exterior totalizou US$ 919,9 milhões, com alta de 11,5% em relação à primeira semana de julho de 2012. O crescimento foi puxado por instrumentos de ótica e precisão (+34,3%), farmacêuticos (+32%), combustíveis e lubrificantes e aparelhos eletroeletrônicos, ambos com alta de 16,9%.

No acumulado do ano, as importações continuam crescendo mais do que as exportações. De acordo com o ministério, as compras externas aumentaram 7,9% no acumulado do ano pela média diária. As exportações, no entanto, caíram 1,2% pelo mesmo critério.

Informações da Agência Brasil

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.