Agricultores de Petrópolis vão receber kits com sementes, adubo e calcário para retomar produção

redacao 04/02/2011
redacao 04/02/2011

A prefeitura de Petrópolis começará a distribuir na próxima semana 200 kits com sementes, adubo e calcário a pequenos agricultores. O objetivo é estimular a retomada da produção daqueles que perderam até 80% da lavoura, após a chuva que devastou áreas rurais do município, em janeiro. Cerca de R$ 140 milhões serão investidos nos insumos.

O secretário de Agricultura Nelson Sabrá, explicou que os beneficiados foram identificados por meio de levantamento do Sindicato dos Produtores Rurais de Petrópolis e da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do estado (Emater-RJ). Além de restabelecer a economia gerada pela atividade, há a preocupação de não faltar produtos para a merenda escolar.

"Boa parte da merenda escolar é fornecida pelos produtores de Petrópolis. Para se ter uma ideia, essa economia movimentaria em 2011 cerca R$ 500 mil. Isso irriga a saúde financeira do produtor e é bom para o município, já que nossos alimentos são de qualidade superior aos trazidos da Ceasa do Rio", afirmou Sabrá, avaliando que os kits vão favorecer o programa da prefeitura.

O presidente do Sindicato dos Produtores Rurais, Henrique Mesquita, disse que os produtos foram adquiridos depois de uma negociação com a prefeitura e que atendem às necessidades do agricultores. "O produtor estava desmotivado, tinha dívidas, ia precisar comprar tudo de novo e isso é um incentivo. [Os kits] não são a salvação, mas são uma ajuda", disse.

O prejuízo provocado pelas chuvas pode chegar a R$ 15 milhões na agropecuária do município. De acordo com secretário, além da perda de lavouras, 18 pontes foram levadas pela enxurrada e estradas ficaram danificadas. Entre as localidades mais atingidas estão Jacó e Brejal, onde o produtor Márcio Ferreira cobra das autoridades locais a retirada de entulhos e o desassoreamento de rios.

"Espero que, até a semana que vem, a prefeitura possa retirar esse material daqui. Nós [os moradores de Brejal] nos juntamos e já pagamos mais de R$ 25 mil por um trator para tirar isso daqui, só que é muita coisa. Estamos com recursos próprios, não dá mais", relatou.

Máquinas da prefeitura estão nas regiões mais atingidas para remover os materiais arrastados pela enxurrada e reconstruir as passagens, que têm acessos provisórios. A Secretária Estadual de Agricultura antecipou o programa de recuperação das vias vicinais em Itaipava, distrito de Petrópolis, que já começou. A previsão é de que todo trabalho termine em até seis meses.

Para evitar que chuvas fortes provoquem novos estragos nos próximos anos, o Instituto Estadual do Ambiente, órgão da Secretaria do Ambiente, divulgou a criação de parques fluviais às margens de rios de Petrópolis e Nova Friburgo. A medida prevê a remoção de famílias que morem próximas às margens e a recuperação de matas ciliares. Mas não está previsto o trabalho de desassoreamento de rios.

"O trabalho preventivo na cabeceira do rios precisa ser feito", destacou o presidente do sindicato dos produtores, preocupado com as próximas chuvas. "Os barrancos desceram e, a cada chuva, traz mais terra e lama. Precisa ser plantada uma vegetação para conter esse barro, essa areia, que vai assoreando o leito dos rios", reivindicou Mesquita.

 

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.