Última edição Edição 262 January 2017 Assine

Computador é eletroeletrônico mais desejado pelos brasileiros, mostra pesquisa

redacao 28/09/2011
redacao 28/09/2011

O computador é o eletroeletrônico que os brasileiros mais desejam, segundo pesquisa da Intel divulgada nesta segunda-feira (26). De acordo com o levantamento, 47% dos entrevistados disseram que sua próxima compra de eletroeletrônico deve ser um desktop, notebook ou netbook.

Na segunda posição, a TV LCD aparece como objetivo de próxima compra de 16% dos entrevistados, enquanto 8% pretendem comprar um celular com câmera e música. O desejo por computadores é mais notado na região Sul, onde o percentual chega a 58%.

A pesquisa mostrou que 56% daqueles que ainda não possuem um computador em casa têm mais interesse em adquirir um, enquanto 30% dos que já têm gostariam de comprar um adicional.

Tipos de computador

A preferência de compras ainda é maior pelos desktops (25%), enquanto 19% querem notebooks e 3% pretendem adquirir um netbook na próxima compra de eletroeletrônico.

O desejo por notebooks é maior na Classe A (28%), mas também está presente nas outras classes sociais. Na classe D, 11% querem um notebook como seu próximo eletroeletrônico, enquanto 31% desejam um desktop.

A maioria das próximas compras de desktops e notebooks será a prazo (82% das próximas vendas de desktops e 73% das vendas de notebooks). Segundo o levantamento, mesmo nas classes mais altas, as compras a prazo são preferidas na hora de adquirir eletroeletrônicos.

 

Outros dispositivos com acesso a internet

A pesquisa da Intel também verificou o nível de penetração e o desejo de compra de outros dispositivos de acesso a Internet, como smartphones e tablets.

Segundo o levantamento, mesmo que os celulares estejam presentem em praticamente todos os lares das regiões metropolitanas, o smartphone ainda apresenta baixa penetração na sociedade brasileira – só 2% dos entrevistados possuíam o aparelho e apenas 1% demonstrou interesse em adquirir um nos próximos 12 meses.

Já a penetração de tablets foi ainda menor – menos de 1% tanto para a posse quanto para o desejo de aquisição nos próximos 12 meses.

“O computador continua sendo a principal forma de acesso à Internet e ferramenta insubstituível no dia-a-dia das pessoas. Embora esperemos um enorme crescimento no número de dispositivos pessoais de acesso à Internet, o que percebemos é que estas tecnologias são complementares, e não substitutas do PC”, disse o diretor da Marketing da Intel Brasil , Cássio Tietê.

 

Pesquisa

A pesquisa foi realizada em 16 regiões metropolitanas de destaque no País, o equivalente a 35% da população brasileira e a 50% do PIB (Produto Interno Bruto) nacional.

As 16 regiões metropolitanas incluem São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Campinas, Votorantim, Curitiba Porto Alegre, Balneário Camboriú, Brasília, Goiânia, Fortaleza, Salvador, Recife, Petrolina, Sobral e Belém.

Foram entrevistadas 2.500 pessoas das classes sociais A, B, C e D com idades entre 16 e 65 anos, usuárias de computador, mesmo que não os tenham em casa.

 

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.