Última edição Edição 262 January 2017 Assine

Falências no 1º trimestre superam igual período de 2011

redacao 10/04/2012
redacao 10/04/2012

O setor em que foi verificado o maior crescimento nos pedidos de falência no período foi o de serviços, com alta de 11,6%, seguido pela indústria (9,8%) e comércio (4,8%)

Os pedidos de falência no primeiro trimestre deste ano ficaram 8,6% acima dos números registrados entre janeiro e março de 2011. Os dados que estão sendo antecipados nesta segunda-feira pela Agência Estado serão divulgados nesta terça-feira. De acordo com a Boa Vista, responsável pelo levantamento, esta é a primeira vez em cinco anos que os números do primeiro trimestre do ano superam os do ano anterior.

O setor em que foi verificado o maior crescimento nos pedidos de falência no período foi o de serviços, com alta de 11,6%, seguido pela indústria (9,8%) e comércio (4,8%). Em março, as falências requeridas foram 8,3% menores do que no mesmo mês de 2011 e, na comparação com fevereiro de 2012, o porcentual de requerimentos foi 8,3% menor.

Já as falências decretadas recuaram 10% no primeiro trimestre comparativamente ao mesmo período do ano passado. Em relação a março de 2011, houve aumento de 22,6% no número de falências decretadas e, comparado a fevereiro de 2012, o aumento foi de 41,3%. Na comparação interanual entre o primeiro trimestre de 2012 e os três primeiros meses de anos anteriores, o número de falências decretadas continua com tendência de queda, de acordo com a Boa Vista.

A Boa Vista também apurou que os pedidos de recuperação judicial e o deferimento dos pedidos de recuperação cresceram fortemente no primeiro trimestre de 2012 na comparação com 2011, contrariando o comportamento dos últimos dois anos, quando os números vinham diminuindo nessa base de comparação. "O ano de 2011 terminou com um número de falências requeridas e decretadas inferior ao de 2010, assim como os requerimentos de recuperação judicial", afirmam os técnicos da Boa Vista.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.