Última edição Edição 262 January 2017 Assine

Franquia norte-americana de cuidados com idosos inicia expansão no Brasil

redacao 21/02/2014
redacao 21/02/2014

Embalado pela estabilidade da economia e pelos investimentos de final de governo e da Copa do Mundo, a expectativa é que o mercado de franquias repita o crescimento acima de 10% nos últimos oito anos. E, para este ano, as franquias com foco em qualidade de vida podem ser opções de investimento. Muito além da beleza e da saúde, os cuidados para melhorar o dia a dia das pessoas, especialmente na terceira idade, devem crescer em 2014. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2040, 57% da população economicamente ativa serão compostos por pessoas com mais de 65 anos. “Com o envelhecimento da população os cuidados com os idosos vão aumentar e o mercado terá de contar com profissionais qualificados para atender esta crescente demanda”, explica Eduardo Chvaicer, máster franqueado da Right at Home.

Com a grande procura por estes serviços a empresa norte-americana marca sua expansão no Brasil com um novo franqueado. “Ele possibilitará a expansão da oferta de serviços aos clientes em São Paulo, com o mesmo profissionalismo e dedicação oferecidos pela Right at Home. Ao mesmo tempo, trará novas experiências e desafios que nos ajudarão no constante melhoramento de nossas tarefas de supervisão, treinamento e apoio”, explica Chvaicer.

Expansão para outros estados brasileiros: “A ideia é que possamos expandir inicialmente em São Paulo (capital e interior) e depois para outras regiões do Sudeste e Centro-Oeste, mas não vou ‘fechar os olhos’ para bons candidatos que me façam mudar essas prioridades”, diz o empresário.

Taxa inicial de franquia

R$ 60.000,00

Despesas para abertura da empresa, móveis, equipamentos e material promocional

R$ 20.000,00

Capital de Giro (três meses)

R$ 30.000,00

Investimento total      

R$ 110.000,00

 

Faturamento da Right at Home – A solidez da Right at Home é uma grande referência nos Estados Unidos. Seu modelo de negócios se espalhou e hoje a rede conta com 297 operações nos Estados Unidos, Inglaterra, Canadá, China, Irlanda e Brasil e inicia sua implementação no Japão.  Em 2013 a empresa teve faturamento de 266 milhões de dólares.

História da Rede – Allen Hager fundou a Right at Home nos Estados Unidos após passar quase uma década na administração de hospitais. Enquanto esteve no ambiente hospitalar viu muitos pacientes (especialmente idosos) saírem do hospital e retornarem para casa, mas não necessariamente voltarem a ter saúde. Uma vez em casa, muitos destes ex-pacientes eram incapazes de cuidar de si próprios. Allen sabia que com uma pequena ajuda, muitas destas pessoas poderiam manter vidas saudáveis e felizes em suas próprias casas, além disso, ele tinha conhecimento que poucas empresas ofereciam este tipo de assistência.

Em 1995, Allen inaugurou a primeira Right at Home em Omaha, Nebraska. Cinco anos depois, começou a expandir para outras regiões do país, selecionando cuidadosamente franqueados que compartilhavam sua paixão por cuidar das pessoas e de suas comunidades.

Em 2012, foi eleita a pela revista Black Enterprise, como uma das 25 melhores franquias para afro-americanos, está entre 100 melhores empresas para se trabalhar eleita pela Star Tribune e uma das 100 melhores franquias para a terceira idade em eleição feita pela Franchise Business Review.

Cenário mundial do envelhecimento da população

O Brasil, junto à Rússia, Índia e China (BRIC), se destacam no cenário mundial como um conjunto de países em constante desenvolvimento. Porém, se levarmos apenas em conta os cuidados com os idosos, a China sai na frente diante dos outros. O país mais populoso do mundo, com cerca de 1,3 bilhão de habitantes, tem de lidar, em paralelo a isso, com o envelhecimento de grande parte da população. A estimativa é que em 2050, a China passe a ter 108 milhões de idosos com mais de 80 anos de idade, e outros 100 milhões que já terão perdido a capacidade de viver de forma independente. Além disso, mais de 54% dos idosos será de casais sem filhos que viverão na solidão.

Dessa maneira, sendo a nação com maior número de idosos (119 milhões de habitantes), a China não teve outra opção a não ser colocar o atendimento ao idoso como uma das prioridades do governo, e está incentivando cada vez mais as empresas do setor. Com esse setor em crescimento, o governo estima que o valor de mercado para atendimento ao idoso irá alcançar 450 bilhões de yuans (cerca de 73 bilhões de dólares), em 2015, criando mais de 5 milhões de empregos no setor.

1 Comentário

  • Angelica22 de fevereiro de 2014

    porque não no nordeste. Cidade como Aracaju Sergipe

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.