Empreendedor - negócio criativos, inovadores e rentáveis

EMP 261 site Última edição Edição 261 December 2016 Assine

IBOPE mapeia o consumo de chocolate no Brasil

redacao 10/12/2009
redacao 10/12/2009

Nesta esta época do ano, o comércio é tomado pelo clima da Páscoa. Ovos, coelhos e os mais variados formatos de chocolate marcam presença em lojas, supermercados e, claro, no carrinho de compras do consumidor. Apesar do furor trazido pela data, este doce alimento está presente na dieta do brasileiro durante o ano todo.

O Target Group Index, estudo regular realizado pelo IBOPE Mídia, revelou um aumento no consumo de chocolate no Brasil desde 1999. Na época em que o estudo começou a ser realizado no País, 57% da população consumia chocolate. Atualmente,  67% dos brasileiros afirmam consumir habitualmente os mais variados tipos de chocolate, sendo que em média são consumidas 10 unidades por semana. O tablete puro tem a preferência da maioria (82%) e os bombons vêm logo em seguida, consumidos por 72%, enquanto as barras recheadas ficam em terceiro lugar na preferência nacional, com 58%. Confirmando todas as suspeitas, as mulheres são as maiores consumidoras do chocolate. Do total dos consumidores, elas representam  55,96% contra 44% de homens.

As quantidades consumidas impressionam: 67% dos consumidores de chocolate (ou seja, quem declara ter consumido o produto nos últimos 7 dias) consomem sete ou mais unidades de chocolate por semana e 23% comem entre três e seis unidades por semana. Entre os "chocólatras", ou seja, aqueles que consomem sete ou mais unidades de chocolate por semana, as mulheres também são maioria (58%), sendo que o tablete puro é quase unanimidade: 90% dos "chocólatras" consomem essa variação do produto.
 
O estudo do IBOPE Mídia, realizado em nove regiões metropolitanas brasileiras entre 10 de julho de 2006 e 1 de julho de 2007, mostrou ainda que os curitibanos (71%), seguidos dos brasilienses (70%) são os principais consumidores de chocolate no País. Por outro lado, Fortaleza é a capital onde os consumidores se interessam menos pelo produto 63%, porém o consumo, ainda assim, é expressivo.
 
"O comportamento do consumidor acompanha o investimento publicitário nessa categoria. Em 2007, a categoria chocolates apresentou investimento de R$ 83 milhões, o que representa um aumento de 27% em comparação com 2006", comenta Dora Câmara, diretora comercial do IBOPE Mídia.

Mercado

De acordo com dados do Pyxis, mapeamento geográfico do consumo brasileiro de bens e serviços realizado pelo IBOPE Inteligência, 50% dos gastos com chocolates, balas e doces em 2006 foram concentrados em 45 municípios, liderados pelas maiores cidades brasileiras: São Paulo (14,1%) e Rio de Janeiro (5,8%).
 
O consumo per capita na região Sudeste é o segundo maior do País (R$ 28,26), ficando atrás apenas da região Sul (R$ 28,58). Entretanto, é nessa região que se encontra o maior potencial de consumo de chocolates: 52,72%. Em seguida estão as regiões Sul (17,88%), Nordeste (15,85%) e, mais distante, Centro-Oeste (8,15%) e Norte (5,39%).

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.