Última edição Edição 263 March 2017 Assine

Indústria da transformação apresentou recuperação, porém com pouco valor agregado

redacao 10/12/2009
redacao 10/12/2009

O crescimento de 5,4% do PIB no ano passado supera a média dos últimos quatro anos, de 3,5%, e se aproxima da taxa de 7%, considerada como a taxa objetivo para um país com a força e a diversidade econômica de que o Brasil dispõe, avalia o Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi). Para a entidade, a recuperação da indústria da transformação, que teve alta de 5,1%, é um dos principais pontos positivos, uma vez que esse segmento registrou elevação de apenas 2% em 2006.

*Foi essa variação o fator individual mais destacado para que o PIB global do país transitasse da taxa de 3,8% em 2006, para o já observado crescimento de 5,4% no ano seguinte*, destacou o Iedi, em nota.

O Iedi, contudo, pondera: esse crescimento da indústria da transformação não tem resultado na fabricação de produtos com maior valor agregado. *Em outra conseqüência do câmbio valorizado, pode estar ocorrendo um empobrecendo das cadeias industriais de produção em um silencioso processo que a alta performance do crescimento da produção mormente na indústria parece não confirmar*, cita o texto.

A análise dos números do PIB mostra que enquanto a indústria da transformação teve aumento real de 6%, o crescimento real do valor adicionado do segmento foi menor e ficou em 4,9%. *Cresce a produção, porém com menor agregação de valor*, conclui.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.