Nada nebuloso

redacao 16/01/2013
redacao 16/01/2013

O uso das aplicações de negócios baseadas na computação em nuvem – ou cloud computing – deixou de ser uma tendência para se consolidar como a novidade tecnológica do ano. Um estudo realizado em junho deste ano pela Associação Brasileira de ebusiness (ebusiness Brasil) ouviu gerentes e diretores de TI e apontou que 56% das empresas brasileiras analisadas já são beneficiadas pelo uso do recurso, que possibilita uma série de vantagens para usuários e corporações.

“Estar com o computador nas nuvens significa disponibilizar aplicações e dados em computadores sem a necessidade de instalação de qualquer programa ou aplicativo”, explica o consultor de TI, Celso Gubitoso. Basta, apenas, ter conexão à internet. Assim, em qualquer lugar e independente de qualquer plataforma, é possível o acesso a informações, arquivos e programas em um sistema único.

Apesar de cada vez mais difundida, a definição ainda não é compreendida de forma exata pelos usuários. E não é só no Brasil. Relação com o clima, travesseiros, drogas e papel higiênico foram as respostas mais dadas a uma pesquisa feita com americanos quando questionados a respeito do que é a nuvem. O levantamento da Wakefield Research, encomendada pela Citrix, também revelou que aqueles que conhecem a tecnologia dizem que trabalhar de casa é a maior vantagem da nuvem.

“A computação em nuvem é utilizada atualmente para reduzir os custos operacionais e revertê-los em novos investimentos. As áreas de negócio podem tirar vantagem desta mudança na alocação de novos recursos da TI para atividades de valor agregado que tragam benefícios para o negócio e servir como base para inovação de negócios e redução de riscos potenciais’’, ressalta Edneia Moura, diretora-executiva da Bysoft.

Expansão
Embora se imagine que no Brasil os resultados de uma pesquisa semelhante à realizada nos Estados Unidos não seriam diferentes, o número de usuários que migram para esta tecnologia vem crescendo a cada ano. “Cloud computing é uma realidade. Temos centenas de clientes corporativos conseguindo benefícios reais para problemas reais. Não estamos mais defendendo o futuro do mundo em cloud. Isto já é passado’’, afirma Maurício Fernandes, presidente da Dedalus, empresa fornecedora de soluções para a computação em nuvem.

Maurício explica que a Dedalus optou por integrar as plataformas dos dois maiores players de cloud do mundo: a Google, que tem mais de 5 milhões de clientes corporativos no mundo com Google Apps, e a Amazon Web Services, que tem mais de 55% do mercado de IaaS (Infraestrutura como um Serviço), segundo o Gartner.

“É um posicionamento muito diferente do restante do mercado nacional, que invariavelmente tem criado ‘suas clouds’. Mas esta tecnologia precisa de volume, não acreditamos que reunir apenas 10 mil servidores interligados significa que você tenha uma cloud de verdade. São necessárias dimensões planetárias. Por isso usamos Google e Amazon para levar ao mercado ofertas que entregam o poder de cloud computing de verdade’’, detalha.

Por proporcionar formatos mais ágeis, inovadores e eficientes de realizar negócio, as vantagens atraem um número maior de empresas brasileiras a cada ano. Utilizando a tecnologia nos seus negócios há três anos, a rede Bourbon Hotéis & Resorts é uma delas. De acordo com Tiago Dutra, gerente de TI que palestrou em evento da ebusiness Brasil, é possível notar benefícios significantes principalmente nos resultados operacionais. “Com a estrutura corporativa nós conseguimos dar vazão às demandas de todas as áreas, desde operacional, financeira, marketing, enfim, toda a corporação”, comenta.

Ainda assim, conforme o consultor Celso Gubitoso, muitas empresas ainda resistem aos serviços da cloud computing. “Trata-se de uma questão financeira. Em muitas empresas ainda estão concluindo seus investimentos na infraestrutura da Tecnologia da Informação’’, comenta.

Apesar da resistência, outro estudo do setor constatou que o número de empresas que migrarão suas infraestruturas de TI para computação em nuvem dobrará até 2015. Intitulada “O poder da nuvem: inovação nos modelos de negócios”, a pesquisa foi conduzida em âmbito mundial com mais de 500 executivos pela divisão de consultoria da IBM em parceria com o instituto de pesquisa Economist Intelligence Unit.

Consciência
Para José Luis Spagnuolo, diretor de Cloud Computing da IBM Brasil, o mercado está de fato começando a entender que cloud computing não gera apenas aumento de produtividade e redução de custo, mas também proporciona o tipo de inovação fundamental que oferece diferenciação e valor de mercado.

Empresas da área da informática estão intensificando seus trabalhos para demonstrar o valor desse serviço. A Orange Business Services, por exemplo, desenvolveu solução baseada em nuvem chamada Flexible Contact Center. Como esta solução é baseada em nuvem, a despesa de capital é mínima e as empresas pagam à medida que crescem, sem necessidade de investimento em manutenção.

“O Flexible Contact Center fornece todos os benefícios de uma solução de contact center em nuvem. Nosso objetivo é apoiar a expansão das empresas, de médio porte a multinacionais, tanto no mercado nacional quanto no internacional, proporcionando a melhor experiência ao cliente de forma personalizada”, explica Béatrice Felder, vice-presidente de Soluções para Contact Center da Orange Business Services.
 

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.