Última edição Edição 262 January 2017 Assine

Resultado de agosto do agronegócio é 15.7% maior que em 2007

redacao 10/12/2009
redacao 10/12/2009

O resultado da balança comercial do agronegócio registrou dois recordes para os meses de agosto: o valor das exportações totalizou US$ 6,8 bilhões, que corresponde a um crescimento de 15,7% em relação a agosto de 2007, e o superávit alcançou a cifra de US$ 5,7 bilhões. Em 12 meses, as vendas externas atingiram a marca histórica de US$ 69 bilhões.

Os setores que mais contribuíram para o aumento das exportações em agosto foram o complexo soja, carnes, complexo sucroalcooleiro e café. O incremento de 44% do valor dos produtos exportados do complexo de soja foi puxado pelo aumento dos preços no mercado internacional. Ao todo, o Brasil exportou US$ 1,8 bilhão de soja e seus subprodutos. Os preços de soja em grão cresceram 81%, os de farelo de soja e óleo de soja, 63% e 61,3%, respectivamente, na comparação com os preços de agosto do ano passado.

As carnes apresentaram crescimento de 38,4% do valor exportado, atingindo o montante de US$ 1,4 bilhão. Em relação a esse setor, o bom resultado das exportações se deu tanto em razão do aumento dos preços.

As exportações de carne bovina in natura apresentaram incremento de 36% em termos de valor e queda de 13% do volume exportado. O crescimento das vendas externas de carne de frango in natura resultou da combinação do aumento de 7,6% da quantidade embarcada com preços 43,7% superiores. As exportações de carne suína in natura, por sua vez, registraram queda de 29,5% do volume embarcado, que foi compensado pelo aumento de 68% dos preços.

As receitas com as exportações de produtos do complexo sucroalcooleiro atingiram US$ 824 milhões e registraram aumento de 15,5%. Já o crescimento das exportações de café foi superior em 19,4% totalizando US$ 381 milhões, sempre na comparação com o mês de agosto de 2007.

@@@

Resultado do ano – De janeiro a agosto, as vendas externas do agronegócio somaram US$ 48,5 bilhões, valor 28% maior que o registrado no mesmo período do ano anterior. O saldo da balança no período foi positivo em US$ 40,6 bilhões, incremento de 25% na comparação com os primeiros oito meses de ano passado.

Os cinco principais setores que colaboraram para o bom resultado das exportações este ano foram o complexo soja (+71,4%), carnes (+36,9%), produtos florestais (+11,2%), complexo sucroalcooleiro, (+5,4%) e café (+16%).

Principais destinos – No que se refere aos países de destino das exportações brasileiras do agronegócio, a China vem se consolidando na primeira posição. De janeiro a agosto deste ano, houve um crescimento de 97,3% das vendas para o mercado chinês. Isoladamente, a China já concentra 13,1% das exportações brasileiras do agronegócio. Em segundo e terceiro lugares, aparecem os Países Baixos, com participação 9,4%, e os Estados Unidos, com 8,5%.

Destaca-se, também, o forte crescimento registrado das exportações para a Venezuela (+136%) e Tailândia (+73%), em relação aos oito primeiros meses de 2007. Nesse período de 2008, a participação da Venezuela como destino das exportações subiu de 1,6% para 2,9%.

Em relação às exportações para blocos econômicos e regiões geográficas, destaca-se o crescimento dos valores para os seguintes destinos: Aladi (66,5%, excluindo os países do Mercosul), Ásia (60,8%), Europa Oriental (44,9%), Mercosul (24,5%) e União Européia (22,7%). Em termos de participação, a União Européia continua como principal destino, comprando 33,2% das exportações brasileiras do agronegócio, a Ásia, 24,9%, o Nafta, 9,7%, e a Europa Oriental, 7,9%, considerando os oito primeiros meses do ano.

Importações –
Em agosto, as importações de produtos do agronegócio cresceram 29,7%, em relação ao mesmo período do ano passado, e atingiram o valor de US$ 1,07 bilhão. As quantidades importadas de trigo, arroz e milho apresentaram queda de 21,6%, 62% e 62,3%, respectivamente. De janeiro a agosto deste ano, houve elevação de 42,4% das importações em relação ao mesmo período de 2007.

Comentar

Os itens com asterisco (*) são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.